Zion Williamson ainda nem estreou na NBA, mas o alvoroço causado pela primeira escolha no draft da próxima temporada mostrou o potencial que o novo atleta do New Orleans Pelicans terá para ser o próximo xodó do mercado americano.

Williamson já é responsável por ter vendido mais de 10 mil ingressos para a temporada do Pelicans, a mais de três meses do início da temporada 2019/2020 da NBA. Além disso, o atleta foi quem mais vendeu a camisa com seu número e nome nas costas entre todos que foram selecionados pelos clubes nesta temporada.

Foto: Reprodução / New Orleans Pelicans

Apontado por analistas como o maior jogador a ser draftado desde LeBron James, há 16 anos, Williamson vê seu nome envolvido em expectativas superlativas. Tanto que ele já é alvo de uma disputa judicial no valor de US$ 100 milhões.

No dia 30 de maio, a CAA, uma das maiores agências de celebridades americanas, anunciou que negociaria os contratos de Williamson no draft e futuros acordos de patrocínio.

Um dia depois, o atleta comunicou à agência Prime Sports Marketing que não seria mais representado por ela. A agência cobra do calouro a quebra desse contrato, alegando que já havia negócio apalavrado com a EA Sports e negociações com Mercedes-Benz, T-Mobile, Beats, General Mills e Puma. 

Os advogados dizem que o atleta cumpriu a lei e afirmam que ele não poderia ter acordo com a Prime Sports porque isso infringiria uma lei da Carolina do Norte, onde ele jogava, que impedia atletas universitários de serem agenciados. O caso ainda deve se desenrolar por alguns meses.


Notícia NBA Zion Williamson basquete New Orleans Pelicans draft agências processo patrocínio marketing visibilidade recorde venda camisa