Foto: Reprodução / Twitter (@BocaJrsOficial)

A temporada 2016/2017 do Boca Juniors foi para ficar na memória do torcedor e também da diretoria. Dentro de campo, o clube levantou o troféu do Campeonato Argentino pela 32a vez. Fora dos gramados, o clube teve, financeiramente, o melhor ano de sua história.

Nesta terça-feira (31), a diretoria anunciou aos acionistas, investidores e patrocinadores um lucro líquido recorde de 407 milhões de pesos (cerca de 19,8 milhões de euros). A notícia foi bastante comemorada pelos lados de La Bombonera.

"Ninguém vai ao Obelisco para celebrar um equilíbrio nas contas, mas todos nós sabemos que, quando o clube é ordenado, o sucesso desportivo é mais provável", afirmou o presidente do clube, Daniel Angelici.

De acordo com o clube, o lucro recorde tem um fator preponderante: a venda de jogadores. Em seu discurso, Angelici atribuiu o sucesso a esse fator, já que 300 milhões de pesos (cerca de 14,6 milhões de euros), ou seja, praticamente 75% do lucro líquido, veio de transações de atletas com outros clubes.

Segundo o jornal argentino La Nación, outro fator importante para o sucesso financeiro do Boca Juniors é o aumento gradativo de vendas de produtos do clube e cotas de patrocínios nos últimos dois anos.

"Estamos atravessando o melhor equilíbrio da história do clube", concluiu um feliz e orgulhoso Daniel Angelici, ao final de seu discurso.


Notícia Boca Juniors lucro venda jogadores Daniel Angelici futebol argentino Argentina