Foto: Divulgação

O comitê organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio informou que já alcançou US$ 3,1 bilhões com a venda de patrocínios domésticos. O valor é o dobro do que havia previsto originalmente o comitê e representa, ainda, recorde histórico com patrocínios em Jogos Olímpicos.

Até então, Londres 2012, que havia faturado US$ 1,1 bilhão com patrocínios, tinha sido a edição olímpica com maior arrecadação na história. Ou seja, o valor é quase o triplo do recorde anterior. Tóquio tem, até o momento, nada menos do que 62 empresas japonesas apoiando a Olimpíada, que será disputada apenas entre julho e agosto do ano que vem. 

Vale lembrar ainda que, na conta desses US$ 3,1 bilhões, não estão incluídas as receitas com os patrocinadores TOP (entre elas as japonesas Bridgestone, Panasonic e Toyota) e, também, os 15 parceiros ouro do Comitê Olímpico Internacional (COI).

"Os japoneses são absolutamente apaixonados pelos Jogos Olímpicos. Então, a comunidade empresarial conhece os valores do esporte e está muito interessada ​​em ajudar e apoiar Tóquio 2020", afirmou Masa Takaya, porta-voz do Comitê Organizador, em entrevista ao site britânico SportsPro Media, no início do ano.

Para se ter uma ideia, recentemente, cerca de 7,5 milhões de japoneses mostraram ter interesse em adquirir ingressos para a Olimpíada que será realizada no país.

Outro fator citado pelo Comitê Organizador para o sucesso com patrocínio foi ter deixado de lado a exclusividade em várias categorias, como os setores de bancos e companhias aéreas. A abordagem, que foi implementada após discussões com o COI, foi auxiliada pela gigante de propaganda e relações públicas Dentsu, definida como agência de marketing exclusiva de Tóquio 2020 em abril de 2014.


Notícia Tóquio 2020 Jogos Olímpicos patrocínio recorde marketing estratégia mercado