O Corinthians lançou oficialmente, nesta quinta-feira, o projeto de reforma do estádio Alfredo Schürig, popularmente conhecido como Fazendinha, em parceria com a empresa LusoArenas. Os portugueses serão responsáveis pela captação de uma verba entre R$ 5 e R$ 13 milhões, que capacitará o espaço para receber jogos do clube enquanto o Pacaembu, que deve ser concedido pela Prefeitura, estiver em reformas. ?Este é um dia muito importante para o Corinthians, pois vamos iniciar a reforma de um patrimônio que está sem uso, e que fica localizado em uma região carente de praças esportivas?, disse Luís Paulo Rosemberg, diretor de marketing da agremiação. Desde o início do mandato de Andres Sanchez, a Prefeitura de São Paulo tenta negociar a concessão do Pacaembu, que seria explorado pelo Corinthians durante um período pré-determinado. Em troca, o clube custearia as reformas e a modernização do local, encargo que adiou o desfecho das conversas. O acerto pela Fazendinha, no entanto, é uma mostra do avanço das tratativas. O comunicado oficial distribuído à imprensa que informa sobre a oficialização da parceria com a LusoArenas diz que o Corinthians ?pretende obter a concessão do Pacaembu?. Por isso, o Parque São Jorge será reformado a partir da semana que vem, e utilizado como casa da equipe profissional em 2010, quando devem começar as obras no estádio municipal. O problema desse plano, que ainda não tem, por exemplo, tamanho do investimento definido, é que a CBF não permite a utilização de locais com capacidade menor de 15 mil nas fases finais da Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro.


Notícia Gestão