A virada de ano trouxe uma nova polêmica para o futebol inglês. Torcedores de diversos clubes que disputam a Premier League estão reclamando do que consideram preços abusivos para que crianças acompanhem os jogadores na entrada dos times em campo. A principal reclamação é de que a prática se tornou elitista, já que pais com condição financeira não tão boa não teriam mais condições de pagar os valores cobrados.

A estratégia já é usada por muitos clubes da elite do futebol inglês há algum tempo como uma forma de angariar mais receita nos dias de jogos. No entanto, o aumento nos valores alcançou um patamar que estaria "excluindo crianças de famílias mais pobres".

Foto: Reprodução

O caso mais contestado é o do West Ham. O clube está cobrando cerca de € 600 para que mascotes pisem o gramado ao lado dos atletas. Em alguns jogos, chegam a entrar duas crianças com cada jogador. Ou seja, em questão de minutos, o clube pode ganhar € 13.200.

Outras dez das 20 equipes que disputam a Premier League também cobram pela ação, muitas das quais estiveram na segunda divisão inglesa em algum momento durante a última década. São elas: Burnley, Crystal Palace, Hull City, Leicester, Newcastle, Queens Park Rangers, Stoke City, Swansea, Tottenham e West Bromwich.

Destes, apenas Newcastle, Queens Park Rangers e Tottenham ainda reservam lugares gratuitos que são sorteados por meio de concursos ou em instituições de caridade. E há ainda os que não cobram nada, bastando apenas se inscrever, casos de Arsenal, Aston Villa, Chelsea, Everton, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Southampton e Sunderland.

"Os clubes recebem tanto dinheiro dos direitos televisivos e mesmo assim excluem as crianças mais pobres ao imporem uma taxa. Isso significa que uma certa classe de crianças nunca poderá ser mascote de uma equipe, e isso não parece justo quando seus clubes ganham tanto dinheiro", afirmou Clive Efford, parlamentar do Partido Trabalhista, em entrevista ao jornal britânico The Guardian.

Enquanto as autoridades de futebol do país prometem discutir o assunto, vale ressaltar que a maioria das crianças que compram o direito de entrar em campo com o time do coração normalmente ainda ganham outros benefícios, como assentos em áreas específicas no estádio, camisetas grátis, bolas de futebol assinadas, fotos do dia e ingressos para aquela determinada partida. Clubes como Stoke City e Swansea chegaram a revelar que possuem longas filas de espera.


Notícia Premier League futebol inglês polêmica crianças entrada em campo receita ação ativação marketing gestão estratégia