O Strava anunciou nesta semana o lançamento do maior estudo global sobre a motivação dos corredores de toda a história. Batizado de "Why We Run" ("Porque Corremos", em tradução livre), o estudo teve avaliações respondidas por 25 mil participantes da rede social para atletas que já conta com 50 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo 6,5 milhões apenas no Brasil.

As entrevistas foram feitas com corredores de rua de nove países da América do Norte, América do Sul, Ásia e Europa. Na conclusão, foram identificados cinco tipos de corredores diferentes. Além disso, apesar de muitos traços em comum entre as regiões, as motivações e recompensas dos atletas diferem bastante.

"A corrida de rua é um fenômeno no Brasil com um número crescente de provas e participantes. A pesquisa ‘Why We Run’ mostra alguns dos motivos disso, como a questão da saúde, que é muito importante por aqui. Outro dado muito interessante entre os brasileiros é que somos o país que mais ama o momento de cruzar a linha de chegada", destacou Rosana Fortes, gerente geral do Strava no Brasil.

Foto: BRSK Photos

Pensando na corrida como um todo, o brasileiro se destaca em diversos aspectos em relação à média global. Por aqui, as pessoas amam planejar suas rotas (27% x 22% da média global), acordam empolgadas com o despertador (17% x 8% do resto do mundo) e adoram a primeira milha (1,6km) percorrida mais do que os demais países pesquisados (15% x 11%). A metade da corrida é uma parte que os brasileiros gostam tanto quanto o resto dos povos, com 21%, e as subidas são menos amadas aqui do que lá fora (13% x 17%, único critério avaliado em que os brasileiros ficaram atrás da média global).

O brasileiro também gosta muito mais da parte final da corrida (50% x 37% da média global) e é ainda mais "apaixonado" pela linha de chegada (70% x 63%). O brasileiro ainda demonstra ser mais sociável na rede, pois dá mais Kudos (os likes do Strava) do que os outros usuários (30% x 25%).

Em relação aos cinco perfis indicados na conclusão do estudo, o mais comum é o de "corredores relutantes" (28%), seguidos dos "corredores fitness" (22%). No meio da lista, ficaram os "corredores aplicados" (20%), com os "corredores conscientes" (16%) e os "corredores apaixonados" (14%) na parte mais abaixo.

Outra conclusão importante do estudo foi o fato de que a saúde é a principal preocupação e motivação dos corredores de todo o mundo. Mais de 80% dos atletas citaram pelo menos uma motivação física quando perguntados sobre o porquê de terem começado. Entre as respostas mais frequentes estão "ser mais saudável", "ficar mais forte" e "ter mais energia".

Outro detalhe é que as metas (41%) se mostraram muito mais motivadoras do que a culpa (15%). Para se aprofundar nos resultados do "Why We Run", é possível conferir a íntegra dos resultados neste link em inglês ainda explorar o infográfico interativo de dados, também em inglês, com a possibilidade de filtrar os resultados da pesquisa por sexo, idade e local.


Notícia Strava corrida de rua running estudo análise motivação mercado Why We Run