A startup brasileira Zissou, que é especializada em sono, aproveitou a lesão do lateral Marcelo no jogo contra a sérvia para fazer propaganda de seu colchão “bed in box”, produzido com tecnologia americana, embalado a vácuo e que cabe dentro de uma caixa. A promessa é que o produto, presente em redes hoteleiras de luxo como o Fasano, vai “reparar a condição física do jogador”.

Foto: Divulgação

De acordo com a Zissou, apesar de movimentar 25 milhões de colchões por ano, a indústria do sono não é marcante na memória dos consumidores. Conforme estudo realizado pela empresa, 90% dos entrevistados não souberam dizer nem a marca nem a composição de seus colchões, além de não recordarem onde adquiriram seus produtos.

A empresa ainda lembrou uma outra análise que lida exatamente com a relação entre sono e atividade física. Para o professor PhD de neurosciência da Universidade da Califórnia, em Berkeley, Matthew Walker, o sono é primordial para a saúde e o bem-estar. Em seu livro “Why We Sleep” (“Por que Nós Dormimos”, em tradução livre), Walker diz que a falta de sono reduz a capacidade aeróbica, aumenta o acúmulo de ácido láctico e faz com que uma pessoa chegue à exaustão de 10 a 30% mais rápido.

Em comunicado, a empresa afirmou que enviou o colchão ao jogador na Rússia nesta quinta-feira (28). O produto chegará ao país da Copa por meio do engenheiro de produtos da Zissou, que levará o colchão com o grupo "Segue o Hexa", formado por nove brasileiros que estão seguindo o Brasil na Rússia com um motorhome.

Segundo a equipe médica da seleção brasileira, Marcelo teve um espasmo na coluna que pode ter sido causado por um colchão. O lateral, no entanto, já está melhor e não deve ser problema para o jogo das oitavas de final, na próxima segunda-feira (2), diante do México.


Notícia Copa do Mundo Zissou colchão sono Marcelo marketing propaganda mercado