No dia 24 de julho deste ano, quando faltava exatamente um ano na contagem regressiva para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a rede americana NBC divulgou que esperava alcançar US$ 1,2 bilhão em venda de publicidade. Agora, a cerca de sete meses e meio do evento, a emissora anunciou que já bateu US$ 1 bilhão, o que leva a crer que será possível, sim, bater os US$ 1,2 bilhão obtidos no Rio 2016.

Este é o primeiro ano em que a emissora está vendendo toda sua publicidade olímpica com direitos multiplataforma de transmissão, o que inclui televisão aberta, televisão a cabo, meio digital e redes sociais. Após desembolsar US$ 4,38 bilhões em 2011 pelos direitos dos Jogos Olímpicos até 2020 e ainda gastar outros US$ 7,7 bilhões em 2014 para garantir a cobertura dos Jogos até 2032, a NBC planeja transmitir aproximadamente 7 mil horas de cobertura relacionadas à edição de Tóquio no ano que vem.

Foto: Reprodução

Para incrementar a transmissão, a emissora ainda pretende lançar um serviço próprio de streaming, batizado de Peacock, que deve chegar ao mercado por volta de março, quatro meses antes do início dos Jogos. Ainda não está confirmado se a plataforma terá os direitos de transmissão do evento, mas, nos bastidores, é o que a NBC imagina como mais um diferencial em relação aos concorrentes.

De acordo com Dan Lovinger, vice-presidente executivo de vendas e parcerias da NBC Sports, mais da metade das marcas fechadas até agora são novas em coberturas olímpicas. O executivo não revelou nomes, mas revelou que a lista contém empresas de setores como tecnologia, varejo, produtos farmacêuticos, fast-food e serviços financeiros.

A emissora espera atrair cerca de 200 milhões de espectadores em todas as plataformas no ano que vem, o que vem servindo como chamariz para as marcas. Se a previsão se confirmar, Tóquio 2020 será o evento mais assistido do ano na NBC.

Os números alcançados até agora pela emissora seguem uma tendência demonstrada nos últimos tempos pelas emissoras americanas de tirar proveito financeiro dos principais eventos esportivos. A Fox, por exemplo, já vendeu praticamente todos os seus anúncios para a transmissão exclusiva do Super Bowl LIV, que será disputado em 2 de fevereiro de 2020. O preço médio de veiculação de um anúncio de 30 segundos está em US$ 5,5 milhões.


Notícia NBC Jogos Olímpicos Tóquio 2020 publicidade patrocínio marketing recorde faturamento mídia transmissão