A saída da Caixa Econômica Federal do patrocínio ao futebol obrigou naturalmente os clubes a buscarem mais patrocinadores. E essa procura faz com que o Brasileirão de 2019 volte a ter uma overdose de marcas expostas nos uniformes dos times, a exemplo do que ocorreu uma década atrás.

Um levantamento exclusivo feito pela Máquina do Esporte mostra que, atualmente, 85 diferentes empresas anunciam nos 20 times que jogam a competição. No ano passado, com a Caixa patrocinando 12 clubes, o número de patrocinadores fixos nos uniformes era menor: 67 empresas, segundo o relatório do Ibope Repucom.

O Corinthians é o recordista de parceiros comerciais na camisa. São 11 marcas diferentes estampadas no uniforme. No ano passado, sem ter um patrocinador máster, o clube teve relacionamento de forma fixa com cinco diferentes marcas. Este ano, o clube fechou novos acordos, trazendo empresas que estavam há dez anos no futebol e que tinham saído do esporte, como o banco BMG e a rede de postos de combustíveis ALE.

Outro fator que contribuiu bastante para essa corrida para a camisa dos times foi a participação de empresas da nova economia. Aplicativos buscam no futebol a exposição maior na mídia para conseguirem angariar novos clientes. Os bancos digitais que invadiram o patrocínio máster dos clubes é o maior responsável por isso.

A enxurrada de marcas deve aumentar com a entrada das empresas de apostas, que voltaram a ter sua atuação legalizada no país. Na última semana, o Fluminense colocou a Kashbet na camisa. Ela se juntou a outras quatro empresas do segmento que já estavam nos times: NetBet (Fortaleza e Vasco), Casa de Apostas (Bahia, Botafogo, Cruzeiro e Santos), MarjoSports (Corinthians) e 188Bet (Atlético-MG).

Quem tem menos marcas distintas na camisa é também quem mais fatura com patrocínio no Brasileirão. O Palmeiras tem apenas Crefisa, FAM e Puma no uniforme. Sem contar o fabricante de material esportivo, os outros dois parceiros pagam R$ 80 milhões ao ano para o atual campeão nacional. Curiosamente, porém, isso não significa que o torcedor palmeirense veja o time jogar com a camisa mais "limpa". Crefisa e FAM têm, juntas, exposição em dez lugares diferentes do uniforme. A instituição financeira aparece em seis diferentes locais, e a de ensino, em quatro.

Com cinco clubes ainda sem patrocinador máster, e muita criatividade para inventar novas propriedades, é possível que a Série A do Brasileirão chegue ao final de 2019 com mais de cem marcas expostas nos uniformes de seus 20 clubes.


Notícia Patrocínio Gestão Marketing Brasileirão Corinthians Palmeiras Caixa