O Rio Open lançou, nesta semana, uma campanha de posicionamento para marcar a abertura de um "novo ciclo" da competição. Maior torneio de tênis da América do Sul, o Rio Open quer enfatizar três pilares principais de comunicação: um torneio impressionante, inesquecível e histórico.

"Passamos esse tempo construindo nossa história, nossa marca. O ano de 2019 foi de transformação e consolidação do Rio Open. E vimos que ele de fato virou um evento de entretenimento. A última pesquisa com o público mostrou que 85% das pessoas que vieram ao Rio Open passaram por todas as áreas dele. Entraremos agora em um novo ciclo", disse Marcia Casz, diretora geral do torneio.

Foto: Divulgação / Rio Open

De acordo com a executiva, isso reforça um ponto importante do Rio Open: trata-se de um torneio que tem sido cada vez mais impactante para o público. Daí a ideia da IMM, agência que é dona do evento, de reforçar a ideia de que ele impressiona.

"A primeira coisa que as pessoas falam quando chegam aqui é que o lugar é impressionante. Elas entram no Boulevard e falam isso. Isso ajuda a fazer o torneio ser inesquecível. E, por fim, ele é histórico. Foram seis campeões diferentes em seis anos, e homenageamos nossos ex-atletas. Nós valorizamos a história do tênis".

Em 2020, o Rio Open será o único torneio de nível ATP do Brasil, já que o Brasil Open foi "rebaixado" para a categoria challenger. Isso também fez com que a IMM decidisse reforçar a importância do tamanho do evento para o público.

"Só 13 cidades no mundo recebem um ATP 500. E, na América do Sul, ele é aqui no Brasil. Não é mais um grande evento que veio e passou. Ele segue aqui. Temos que ter essa sensação de pertencimento, de ele ser nosso", finalizou Marcia Casz.


Notícia Rio Open conceito estratégia gestão tênis marketing mercado