A Drogarias Pacheco será mais uma patrocinadora da 6ª edição do Rio Open, maior torneio de tênis da América do Sul, que acontecerá de 16 a 24 de fevereiro, no Jockey Clube Brasileiro, no Rio de Janeiro. A rede, que nasceu na capital carioca, estará presente no evento como drogaria oficial e com uma estrutura preparada especialmente para atender o público na área interativa, batizada de Leblon Boulevard.

Foto: Reprodução

De acordo com a rede, a loja será em um estilo mais compacto e oferecerá aos visitantes itens de conveniência de higiene e beleza, bem como serviços de aferição de pressão e glicemia. No espaço, também haverá distribuição de brindes e um cenário exclusivo para fotos. Além disso, clientes cadastrados no programa de relacionamento Viva Saúde, poderão ser contemplados com cortesias para ir ao torneio.

"A Drogarias Pacheco está presente no Rio de Janeiro há mais de 100 anos e durante esse tempo construiu um relacionamento forte e de proximidade com o público local, fato que a elegeu a marca preferida dos cariocas. Por isso, a rede apoia eventos importantes para a cidade e que estejam alinhados com nosso posicionamento de cuidar da saúde e do bem-estar do consumidor, incentivando a prática esportiva", afirmou Thaís Lima, gerente executiva de marketing do Grupo DPSP, dono das Drogarias Pacheco e também da Drogaria São Paulo.

A rede de drogarias carioca se une a uma grande lista de marcas que patrocinarão o Rio Open em 2019, entre elas Booking.com, Copagaz, Emirates, Estácio, FedEx, Fila, Head, Localiza, Melitta, Petra Origem, Peugeot, Rolex, Santander, Sextante, Shell e Zetaflex. A patrocinadora principal e apresentadora do torneio é a Claro.

O Rio Open será disputado entre 18 e 24 de fevereiro, no Jockey Club do Rio de Janeiro. Jogadores como o austríaco Dominic Thiem (8o do mundo), o italiano Fabio Fognini (15o) e o argentino Diego Schwartzman (20o), além do brasileiro Thiago Wild, atual campeão juvenil do US Open, estão confirmados na chave principal.


Notícia Rio Open Drogarias Pacheco tênis patrocínio marketing