A Red Bull anunciou, nesta quarta-feira (27), a extensão do contrato com a Honda para o fornecimento de motores na Fórmula 1 até 2021. Com a ampliação, que também contempla a Toro Rosso, a Red Bull ainda garante permanência na principal categoria do automobilismo mundial após 2020, coisa que Mercedes e Ferrari ainda não fizeram até o momento.

As duas principais equipes da Fórmula 1 atual cogitam a possibilidade de deixar a categoria ao término da temporada que vem pela iniciativa da Liberty Media de aplicar, a partir de 2021, um novo conjunto de regras técnicas e limite de gastos destinados a tornar a F1 mais equilibrada. As equipes em geral ainda negociam novos termos comerciais com a Liberty Media sobre distribuição de prêmios e divisão mais justa das receitas.

Max Verstappen conquistou três vitórias na temporada (Foto: Reprodução / Twitter (@redbullracing)

Vale lembrar que o relacionamento entre Red Bull e Honda teve início neste ano. A montadora japonesa havia voltado à categoria em parceria com a McLaren em 2015, mas teve três anos ruins com a escuderia britânica.

No ano passado, no entanto, fechou com a Toro Rosso e teve um desempenho até certo ponto satisfatório. Tanto que acabou conseguindo um acordo com a equipe principal da marca de bebidas energéticas austríaca e, em 2019, passou a equipar as duas escuderias.

Este ano foi disparadamente o melhor da montadora desde que retornou à F1. Ao todo, alcançou três vitórias na temporada, todas com o holandês Max Verstappen pela Red Bull (Áustria, Alemanha e Brasil), o que deu impulso à renovação e ampliação do contrato.


Notícia Red Bull Toro Rosso Honda F1 Fórmula 1 motor marketing patrocínio mercado renovação ampliação Liberty Media