A queda precoce do Paris Saint-Germain na Champions League em um jogo polêmico diante do Manchester United nesta quarta-feira (6) não atrapalhará em nada a estratégia certeira da Nike com o clube na atual temporada. A escolha da fabricante americana de colocar a marca Jordan na camisa do clube francês na disputa da competição europeia se mostra cada vez mais um case de extremo sucesso no mundo do marketing esportivo.

Foto: Reprodução / Twitter (@PSG_inside)

De acordo com números divulgados pela Nike, o PSG superou um milhão de camisas vendidas após adotar a estratégia, batendo um recorde "pessoal". O principal impacto foi notado nos Estados Unidos. No país, houve um aumento de 470% nas vendas da camisa do clube parisiense. Os números já vinham impressionando desde o primeiro final de semana de vendas, quando chegou a 40 mil unidades comercializadas.

Segundo a mídia americana, o fato de estrelas do esporte do país terem "adotado" a camisa também ajudou na popularidade. Nomes conhecidos da NBA, como Ben Simmons (Philadelphia 76ers), Draymond Green (Golden State Warriors) e Nicolas Batum (Charlotte Hornets) foram clicados com o manto do PSG nos últimos meses.

Se forem levados em consideração os números da última temporada, mesmo com toda a pompa da chegada de Neymar, fica ainda mais claro o tiro certo da Nike. Em 2017/2018, a marca havia comercializado “apenas” 800 mil camisas, resultado considerado decepcionante pela fabricante.

Com as vendas ultrapassando um milhão de camisas, o PSG alcança um grupo seleto e entra no Top 5 de clubes que mais comercializam este tipo de produto mundialmente. À frente dos franceses estão apenas Real Madrid, Barcelona, Bayern de Munique e Manchester United, este último o algoz parisiense nas oitavas de final da Champions League.


Notícia Paris Saint-Germain PSG Jordan Nike marca estratégia marketing patrocínio mercado camisa Champions League