O Procon de São Paulo questionou a GOL pelo alto número de venda de bilhetes para agências de viagem e turismo na promoção realizada durante o jogo entre Brasil x Venezuela, pela Copa América, em que 167 bilhetes para voos internacionais foram comercializados ao preço de uma lata de cerveja Brahma (R$ 3,90).

De acordo com o Procon, a GOL informou ao órgão ligado à Secretaria de Justiça e Cidadania quem foram as pessoas que conseguiram comprar a passagem no período da promoção, quando o site da empresa saiu do ar por conta da alta procura dos torcedores em busca dos bilhetes promocionais.

Foto: Divulgação / GOL

O órgão diz que 78 das 167 passagens vendidas ficaram com agências, sendo que Viajanet (32) e CVC (24) conseguiram o maior número de bilhetes. O Procon diz que, agora, vai aprofundar a apuração sobre o caso e poderá aplicar sanções baseadas no Código de Defesa do Consumidor.

Segundo o Procon, a promoção deveria ter tido "medidas que assegurassem que a promoção ficasse restrita ao consumidor final". Além disso, o órgão diz que as agências "possuem recursos tecnológicos e estrutura que podem facilitar o acesso ao procedimento de compra durante a promoção".

Em comunicado, a GOL reforçou que a empresa seguiu o regulamento da promoção ao realizar as vendas: "A GOL informa que a venda das passagens internacionais, disponibilizadas na promoção 'GOL a preço de Brahma', cumpriu rigorosamente todos os termos e condições do regulamento divulgado publicamente", afirmou a companhia aérea.


Notícia GOL Brahma Procon Copa América promoção ação ativação site marketing patrocínio mercado agências de viagem consumidor final