O objetivo da LaLiga de internacionalizar sua marca e, para isso, transferir um jogo do Campeonato Espanhol para os Estados Unidos ganhou um crítico de peso nesta terça-feira (18). O presidente da Fifa, Gianni Infantino, deu sua opinião sobre o assunto pela primeira vez e se mostrou totalmente contra a ideia.

Gianni Infantino. Foto: Reprodução

“Eu acho que preferiria ver um ótimo jogo da MLS nos EUA ao invés da LaLiga estar nos EUA. No futebol, o princípio geral é de que você joga uma partida 'caseira' em 'casa', e não em um país estrangeiro”, criticou Infantino, em um comunicado oficial.

A declaração surge em um momento decisivo para a aprovação ou não da ideia. A LaLiga já solicitou oficialmente à Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) que autorize a partida entre Girona e Barcelona, no dia 27 de janeiro de 2019, para o Hard Rock Stadium, em Miami.

Isso porque a RFEF, a Federação de Futebol dos EUA, a Uefa e a Concacaf precisam dar permissão para que o objetivo da LaLiga seja concretizado.

“Existem regras e regulamentos que todos cumprem. Tal proposta deve ser aprovada pelas respectivas associações, pelas respectivas confederações e a Fifa também deve expressar uma opinião sobre o assunto, até porque também teria implicações para o futebol a nível global”, acrescentou Infantino.

Já há especulações na imprensa europeia de que outros países esperam apenas o aval ser dado para colocarem em prática ideias parecidas. Ou seja, se o jogo entre Girona e Barcelona for realmente marcado para Miami, vai se tratar de uma decisão histórica que pode ter um efeito generalizado em toda a Europa. Até a Uefa já estaria discutindo a possibilidade de levar uma final de Liga dos Campeões para Nova York.

Javier Tebas. Foto: Reprodução

O presidente da LaLiga, Javier Tebas, principal idealizador do jogo do Campeonato Espanhol em território americano, foi rápido na resposta e retrucou Gianni Infantino no Twitter.

“Vou lembrar ao presidente da Fifa que três equipes do Canadá participam da MLS, e o Toronto FC é, inclusive, o atual campeão. Além disso, há ainda outra liga profissional sendo disputada no Canadá”, tuitou Javier Tebas.

O assunto vem causando polêmica desde que surgiu no mês passado. Houve até ameaça de greve do sindicato dos jogadores, que alegam não ter sido consultados sobre a ideia.

Apesar da crítica de Infantino, a LaLiga ganhou o apoio de outro nome importante. Em entrevista à rádio espanhola “El Transistor”, o presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, mostrou que é a favor da ideia.

“Temos a obrigação de promover a LaLiga. Você tem que se aproximar dos fãs e encontrar novos fluxos de renda. Jogar uma partida no exterior nos ajudaria e ajudaria, a médio e longo prazo, todas as equipes que disputam o torneio”, afirmou o presidente do clube catalão.

Leia Mais: Análise: "Ganhar o mundo" pode custar caro


Notícia Fifa Gianni Infantino LaLiga EUA mercado estratégia crítica internacionalização marca Barcelona