A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (8) o vencedor da concessão do Pacaembu. Com proposta de R$ 111 milhões, o Consórcio Patrimônio SP ficará com a gestão do estádio pelos próximos 35 anos.

A escolha frustra os planos do Santos. O time do litoral era um dos interessados na administração do estádio e fez proposta em conjunto com a Universidade Brasil. O valor, no entanto, não foi suficiente para bater o grupo vencedor; foram oferecidos R$ 88 milhões.

O Consórcio Patrimônio SP é formado pela empresa de engenharia Progen e o fundo de investimentos Savona. O modelo de negócio com a arena ainda não foi detalhado, mas a promessa é de levar “atrações culturais” ao local.

A decisão sobre a concessão deveria ter acontecido em agosto, mas o Tribunal de Contas do Município suspendeu o processo na ocasião. Nesta semana, o órgão finalmente autorizou a abertura das propostas.

A concessão do estádio tem importância política para o atual grupo que chefia a prefeitura da cidade. Em 2016, João Dória Junior foi eleito com a promessa de privatizar uma série de patrimônios públicos, mas não houve sucesso até o momento.

Agora, com Bruno Covas na Prefeitura, o Pacaembu se torna o primeiro a sair do chamado Plano Municipal de Desestatização.


Notícia Pacaembu Gestão João Dória Júnior