A disputa por direitos de transmissão no streaming deve ganhar um novo capítulo após a Globo anunciar um investimento de US$ 3,3 milhões na Pixellot, empresa de inteligência artificial de Israel. O aporte na empresa tem como objetivo instalar a tecnologia fornecida por ela em estádios e instalações esportivas em todo o país, permitindo a detentores de direitos a opção de transmitir partidas ao vivo por um serviço de streaming oferecido pela Globo.

O movimento é um dos maiores passos dado pela emissora para começar a oferecer um serviço de streaming dentro do mercado brasileiro. Nos últimos anos, com foco na televisão, a Globo viu diversas competições menores migrarem para plataformas de streaming e deixou de ter direitos de transmissão sobre algumas delas. Agora, a ideia é oferecer maior possibilidade de cobertura a outros eventos.

Foto: Divulgação

"Depois de revisar muitas tecnologias no mercado de mídia, concluímos que a Pixellot desenvolveu a única tecnologia que pode fornecer uma solução na escala e qualidade exigidas. Ela também tem o maior portfólio de produtos que pode atender a todos os mercados da nossa cadeia de valor de mídia. A Globo poderá produzir novas verticais esportivas e expandir nossa cobertura no futebol, que é a paixão nacional. Isso inclui ligas e competições profissionais masculinas e femininas, além de esportes semiprofissionais e de nicho pela primeira vez", afirmou Roberto Marinho Neto, diretor da divisão de esportes do grupo, em comunicado.

A solução da Pixellot usa algoritmos de produção automatizada para rastrear o fluxo de jogo, identificar e recortar destaques, atualizar o placar e gerenciar inserções de anúncios sem a necessidade de intervenção humana. Ao instalar dispositivos com várias câmeras não tripuladas nas arenas, a solução da empresa reduz brutalmente o custo de produção de um evento esportivo. Além disso, a solução baseada em nuvem da Pixellot distribui as filmagens do jogo em plataformas diretas ao consumidor, expandindo a capacidade de distribuir mais conteúdo.

"O mercado brasileiro está cheio de milhões de entusiastas do esporte em muitos tipos de esportes. A visão do Grupo Globo de liderar uma revolução tecnológica na cobertura esportiva proporcionará maior acesso aos fãs e permitirá que a empresa monetize verticais esportivas inteiras pela primeira vez, sendo pioneira no avanço da indústria esportiva sul-americana", disse Alon Werber, CEO da Pixellot.

A emissora carioca ainda não divulgou quando pretende instalar a solução no Brasil.


Notícia Globo Pixellot mídia streaming transmissão conteúdo tecnologia inteligência artificial marketing mercado