Após criar a primeira bola ecológica de futebol profissional do mundo que foi utilizada na disputa da última edição do Campeonato Paulista, a Penalty decidiu manter o foco na inovação. Dessa vez, a marca apresentou a Penalty 8.0 Pró, a primeira bola de vôlei do mundo produzida a partir da técnica de termofusão. 

De acordo com a fabricante, a nova bola surgiu depois de um pedido dos atletas da modalidade, que queriam um modelo mais confortável, macio e preciso. Inédita no vôlei, a tecnologia Termotec, que já é usada no futebol, se caracteriza por garantir à bola mais elasticidade e tempo de resposta, além de maior precisão e durabilidade. Ao todo, foram oito meses de testes com atletas da equipe feminina do Pinheiros e da equipe masculina do Sesi.

"Ouvimos de muitos atletas a necessidade de criar uma bola mais macia, mas que mantivesse a performance. Com a termofusão, conseguimos isso", explicou Carlos Saraiva, diretor de relações esportivas da Penalty.  

Foto: Divulgação / Penalty

Aprovada pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB), a Penalty 8.0 Pró será a bola oficial das federações de vôlei de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, assim como também dos campeonatos estaduais de Santa Catarina, Rio de Janeiro e Minas Gerais em 2020.

No embalo do lançamento da bola, a marca ainda apresentou uma nova linha de produtos para a prática do vôlei, com opções de bola profissional e amadora. São quatro modelos, incluindo a Penalty Pró 8.0, além da VP 5000, VP 5000M e VP 3000. A bola termofusionada tem preço sugerido de R$ 399,99 e já está disponível nas principais lojas esportivas do país e no e-commerce da Penalty.

O lançamento também contou com um vídeo, que foi publicado nos canais digitais da marca. A Penalty ainda promete uma série de ativações em pontos de venda. Assista ao vídeo abaixo:


Notícia Penalty bola vôlei termofusionada inovação marketing estratégia mercado