Um documento de 74 páginas em que são detalhados desde o perfil da comissão técnica até uma breve história da parceria com a Parmalat. Esse é o trunfo da diretoria do Palmeiras para manter os principais jogadores da atual equipe dentro do clube. Na noite da última quarta-feira a diretoria palmeirense se reuniu com empresários interessados em investir em jogadores que fazem parte do atual elenco alviverde. O projeto, batizado de ?Cesta de Atletas?, tem como objetivo levantar uma quantia considerável de dinheiro para ser investido no futebol. O valor a ser levantado ainda depende da aprovação do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do Palmeiras, mas segundo a Máquina do Esporte apurou, deve beirar os R$ 50 milhões. A iniciativa tem como objetivo principal fazer com que o clube não tenha de se desfazer de seus principais jogadores para conseguir equilibrar o caixa (em 2006 o Palmeiras teve um déficit de R$ 37 milhões). Além disso, no futuro, a idéia é replicar o modelo para ser implantado também na contratação de jogadores. A Máquina do Esporte teve acesso exclusivo ao documento entregue aos empresários interessados em investir no clube. Nele, está especificado o modelo de funcionamento da ?Cesta de Atletas?. O mecanismo cria uma empresa, a Palestra Investimentos Ltda., que será a receptora dos investimentos. Em troca do aporte, a Palestra terá participação sobre os direitos econômicos de alguns jogadores que farão parte da ?cesta?. O Palmeiras, porém, terá a autonomia para negociar esses atletas. ?O projeto é interessante porque levanta recursos sem que seja preciso se desfazer do time. E, além disso, o Palmeiras preserva mais de 80% dos direitos sobre os atletas. Outra coisa é que o clube tem autonomia total. Não é o investidor que decide se o atleta será vendido?, afirmou um dos membros do clube envolvidos na criação do projeto e que pediu anonimato para dar a entrevista. Para conseguir captar o maior número possível de investidores, o Palmeiras decidiu terceirizar o serviço de gestão da Palestra. A empresa terá, também, uma auditoria mensal nas suas contas, feita pela empresa Consultax Auditores Independentes. Tanto os gestores quanto a auditoria serão remunerados pelos serviços. Os recursos serão aqueles captados pela Palestra. Os aportes financeiros na Palestra Investimentos estão divididos em três cotas: a mais baixa, chamada de ?Cota Bronze?, é de R$ 50 mil. A intermediária, denominada ?Cota Prata?, é de R$ 150 mil. A mais cara, chamada de ?Cota Ouro?, custa R$ 300 mil. O investimento poderá ser feito tanto por pessoas físicas quanto jurídicas. Na reunião da quarta-feira, os empresários conheceram os detalhes do projeto e, também, tiveram a oportunidade de conversar com o presidente Affonso Della Monica. Ele esteve acompanhado de Seraphim Del Grande (presidente do conselho deliberativo), Gilberto Cipullo (vice-presidente de futebol), Luiz Gonzaga Belluzzo (diretor de planejamento) e Rogério Dezembro (diretor de marketing), entre outros membros da diretoria do clube.


Notícia Palmeiras Gestão