A Máquina do Esporte, reforçando seu pioneirismo na cobertura dos negócios do esporte no Brasil, apresenta mais uma vez a lista com os melhores casos de marketing esportivo do Brasil em 2007. O ano que termina trouxe uma série de novidades no universo do esporte, sendo que algumas ações mexeram como nunca com o mercado, como a camisa 3 do Palmeiras, o Gol Mil de Romário, os mascotes do esporte, etc. Veja a seguir a lista com as dez melhores ações de marketing do país no ano. A seleção foi feita pela equipe da Máquina do Esporte e é uma espécie de retrospectiva com o que de melhor aconteceu no esporte brasileiro em 2007. Além disso, também, como já realizado no ano passado, elegemos uma ação como a melhor estratégia de marketing no universo do esporte em todo o mundo. Case Internacional: A contratação de David Beckham pela MLS O maior acontecimento do marketing esportivo mundial foi, sem dúvida, a contratação do meia David Beckham pelo Los Angeles Galaxy, time que joga a Major League Soccer. Com a presença (ou não) do inglês em gramados americanos, o futebol na terra do Tio Sam parece finalmente querer decolar. Beckham levou mais gente aos estádios, atraiu a atenção da mídia americana para o futebol e, agora, começa a fazer o soccer decolar nos EUA, feito que nem Pelé conseguiu. A jogada de marketing fará também com que Beckham receba mais de US$ 50 milhões por ano, receita recorde para um jogador de futebol. Da mesma forma, o LA Galaxy já fatura com a entrada de novos anunciantes. Cases Nacionais: 1 - Terceiro uniforme do Palmeiras O lançamento da terceira camisa do Palmeiras foi a ação de marketing no esporte que maior impacto teve na mídia e nas vendas em 2007. O segredo criado pela Adidas e pelo clube em torno do uniforme verde limão, o evento de lançamento para 1,5 mil pessoas e a aceitação imediata do público fizeram com que a estratégia de venda da camisa tivesse de ser revista. O lote inicial de 20 mil camisas se esgotou rapidamente, e a fabricante teve de recolocar o modelo na linha de produção. Além disso, o Palmeiras jogou mais partidas com o uniforme, que se tornou presença constante nas arquibancadas do Palestra Itália. 2 - Gol Mil de Romário Ok, a conta não fecha, mas Romário conseguiu fazer com que o seu teórico milésimo gol como jogador virasse o melhor case de marketing esportivo no primeiro semestre de 2007. O frenesi em torno do acontecimento lotou por cinco jogos o Maracanã, fez com que o Vasco tivesse um patrocinador na camisa após seis anos e gerou uma mídia impressionante em torno do Baixinho. No final das contas, só em bilheteria Romário gerou mais de R$ 4 milhões, fora a exposição recorde do Vasco na mídia em todo o mundo nas semanas que antecederam o milésimo gol. 3 - Red Bull Air Race Aviões fazendo acrobacias nas praias de Flamengo e Botafogo, no Rio de Janeiro, representaram uma das ações mais eficientes de marketing no esporte brasileiro em 2007. No final de março, a Red Bull realizou uma etapa do Red Bull Air Race no país. Mais de um milhão de pessoas compareceram à exibição, que teve transmissão ao vivo pelo Sportv e cobertura nos principais veículos do país, como os jornais "O Globo" e "O Estado de S. Paulo". Para a fabricante de drink energético, foi ainda a oportunidade de reunir uma massa gigantesca de pessoas em torno de sua marca e a possibilidade de levar o produto a esse consumidor. O evento foi organizado pela agência 360º. 4 - Piloto da Vez, da Johnnie Walker Pelo segundo ano consecutivo a Diageo, fabricante do whisky Johnnie Walker, realiza com a agência The Marketing Store a promoção "Piloto da Vez", durante o GP Brasil de Fórmula 1. Em 2007, porém, o evento contou com a presença de astros da F1 como o ex-piloto Mika Hakkinen e a sensação inglesa Lewis Hamilton. Ambos estiveram em ações de marketing da empresa pelos bares paulistanos no final de semana do GP. Além disso, uma parceria firmada com o portal UOL rendeu um aumento de mídia para a ação, que inspirou a Diageo a reaplicá-la em todo o mundo. 5 - Flamengo na Super League Formula Um time de futebol numa corrida de carros? Essa foi a grande sacada do marketing do Flamengo em 2007, ao anunciar em novembro um acordo para a participação de um carro com suas cores e símbolo na categoria Super League Formula, que será criada em 2008. A competição terá a participação de carros com as cores e símbolos de clubes de futebol. Além do Flamengo, Milan (Itália), Porto (Portugal), PSV Eindhoven (Holanda), Olympiacos (Grécia), Borussia Dortmund (Alemanha) e Anderlecht (Bélgica) fazem parte da competição. A iniciativa inédita do clube carioca rendeu, além de uma grande mídia no lançamento do carro, a possibilidade de a marca Flamengo ser expandida para todo o mundo. 6 - Jogos Pan-Americanos Sim, o Pan foi um sucesso. Claro que muita coisa ainda deve ser apurada, especialmente o estouro no orçamento, que saltou de R$ 500 milhões para quase R$ 5 bi, além da excessiva participação da esfera pública na organização do evento. Mas o fato é que o torcedor brasileiro gostou do Pan. Ele ligou a TV, compareceu às arenas e teve contato com mais esportes durante o mês de julho. As vendas de produtos oficiais do Pan mostram o sucesso do evento junto ao público. Além disso, o evento permitiu que diversos atletas ganhassem novos patrocínios a partir do Pan, como Thiago Pereira, que foi o destaque da natação e, pouco depois dos Jogos no Rio, fechou patrocínio com o Bradesco. 7 - Mascotes dos clubes de futebol Prática comum nos esportes americanos, o mascote começa finalmente a cair no gosto dos torcedores de futebol do Brasil. Aos poucos os clubes intensificam o trabalho com a imagem de seus mascotes para conseguir gerar mais aproximação ao público infantil e, ao mesmo tempo, um aumento de receita com a venda de produtos licenciados. O exemplo mais bem acabado vem do Santos, que teve nos mascotes Baleinha e Baleião seu maior case de sucesso em marketing. O clube foi coroado com o prêmio Marketing Best de inovação no trabalho com o público infantil e, ainda, viu todos os demais clubes seguirem a onda e começarem a explorar comercialmente a imagem de seus mascotes. 8 - Futebol feminino Sim, as mulheres conseguiram. Após três anos de promessas, o futebol feminino brasileiro conseguiu, a fórceps, fazer com que a CBF parisse uma competição exclusiva para as mulheres. O vice-campeonato mundial conquistado em setembro obrigou a entidade a investir e criar a Copa do Brasil de futebol feminino. O torneio foi realizado no final do ano, ainda com uma série de problemas, inclusive a falta de pagamento para os clubes disputarem as partidas. Mas o fato é que as mulheres têm conseguido atrair a atenção da mídia e, na base do talento, da superação e dos resultados em campo, chamarem a atenção para o esporte no país que é, pretensamente, o país do futebol. 9 - Rally dos Sertões Há dez anos com o status de maior competição Off Road do país, o Rally dos Sertões decidiu procurar com um novo público a partir de 2007. Na associação entre a Dunas Race, que organiza o evento, e a agência de publicidade Fala!, surgiu um plano de comunicação para o Rally que aumentou sensivelmente a exposição dos patrocinadores e potencializou a marca da competição. Um plano de mídia foi fechado pela Fala!, levando imagens do Rally para programas como o "Caldeirão do Huck", do apresentador Luciano Huck. O aumento da exposição permitiu que a Dunas renegociasse os patrocínios para o Rally dos Sertões, trazendo mais receita para o evento. 10 - Empresas de saúde no futebol No apagar das luzes de 2007, o mercado de futebol sofreu uma reviravolta com o anúncio do patrocínio da Medial Saúde ao Corinthians. Por R$ 16,5 milhões, a empresa de saúde vai patrocinar o clube paulista em 2008. A entrada da Medial mostra que o futebol é uma plataforma cada vez mais importante para o plano de comunicação e marketing das empresas de saúde no país. Há quase dez anos como principal patrocinadora do Fluminense, a Unimed decidiu, em 2007, partir para um nível mais alto de investimento no esporte. A empresa criou o "Saúde Esporte Clube", em parceria com a agência de marketing esportivo Figer. A idéia é levar para as pessoas o conceito de saúde relacionada ao esporte. Carretas da Unimed que prestam serviços médicos para as pessoas em eventos esportivos e planos de saúde ligados ao Fluminense são algumas das ações previstas. Agora, a Unimed terá a concorrência da Medial, que já anunciou que montará planos específicos para o torcedor corintiano e também levará para os jogos do clube durante a Série B do Campeonato Brasileiro serviços de atendimento ao torcedor, divulgando ainda mais seus serviços.


Notícia Marketing