Em dezembro do ano passado, a marca de tecnologia e serviços financeiros Visa entrou para a história do futebol feminino da Uefa ao ser a primeira empresa a fechar com a entidade depois que os direitos de patrocínio dos futebóis masculino e feminino foram separados. Três meses depois é a vez da Nike enxergar na parceria com o futebol feminino uma maneira de crescer nas competições do Velho Continente.

Foto: Divulgação / Nike

Pelo acordo, assinado até 2021, a fabricante americana será responsável por fornecer a bola oficial dos principais torneios de clubes, Liga dos Campeões e Liga Europa, assim como de torneios de seleções, como os Mundiais Sub-17 e Sub-19, e as Eurocopas de futebol e futsal.

A promessa é de que a Nike projetará uma bola personalizada apenas para uso em competições femininas, o que deve dar a oportunidade às mulheres de demonstrarem ainda melhor sua criatividade e suas habilidades dentro de campo.

"Estamos muito satisfeitos de ter uma parceria como uma marca global como a Nike, que está comprometida com a igualdade no desporto e é reconhecida por atletas de todo o mundo", disse Nadine Kessler, diretora da área de futebol feminino da Uefa.

"A Nike e a Uefa partilham uma ambição comum: levar o futebol feminino a perceber seu enorme potencial. As competições da Uefa representam a elite do futebol de clubes e de selecções. Através da nossa inigualável inovação e apoio ao futebol feminino, da elite ao 'futebol raiz', vamos desenvolver o futebol para a próxima geração de jovens jogadoras", afirmou Bert Hoyt, vice-presidente e diretor geral da Nike para Europa, Oriente Médio e África.

O acordo faz parte de uma estratégia da Nike de ganhar espaço em competições europeias de futebol, terreno que ainda é dominado pela Adidas. A marca alemã é responsável, por exemplo, pelo fornecimento da bola da Liga dos Campeões masculina. Já a bola da Liga Europa é, desde o ano passado, fabricada pela marca japonesa Molten.

Com os acordos assinados até agora, a Uefa parece provar que tomou a decisão correta em separar os direitos de patrocínio no futebol da entidade. Se for levada em consideração a principal competição do continente, a Liga dos Campeões, enquanto a masculina possui apoios de Mastercard e Adidas, a feminina contará exatamente com as duas principais concorrentes dessas marcas, Visa e Nike.


Notícia Nike Uefa futebol feminino Liga dos Campeões Liga Europa bola patrocínio marketing estratégia mercado europeu