Um ano e meio após o início da era dos patrocínios de camisa, a NBA anunciou que vai dar um novo passo com o objetivo de gerar um novo fluxo de receita às 30 franquias que disputam a liga de basquete mais importante do mundo. A partir da próxima temporada, cada equipe estará autorizada a fechar dois patrocínios em escala internacional, ou seja, fora dos EUA.

De acordo com a imprensa americana, as primeiras a se interessarem pelo novo modelo deverão ser as empresas que já possuem os naming rights dos ginásios da NBA. Elas estariam de olho na possibilidade de se tornarem patrocinadores globais das equipes e, assim, aumentarem a visibilidade no mercado internacional.

Foto: Reprodução / Twitter (@NBA)

Nos bastidores, a NBA teria afirmado que o modelo incluiria o uso das marcas em locais de varejo e nas plataformas de mídia digital e social dos patrocinadores. No entanto, só poderão ser usados conteúdos não relacionados a jogos, como os bastidores, com destaques proibidos de serem incluídos nas parcerias.

A liga não informou de maneira oficial, mas, segundo Sports Business Journal, o novo modelo poderá ter contratos de, no máximo, três anos, ao menos neste primeiro momento.

Vale lembrar que, desde que os patrocínios de camisa foram liberados, no início da temporada 2017/2018, a autorização também foi para que os acordos fossem assinados pelos mesmos três anos, no máximo.

A estratégia adotada há um ano e meio, aliás, vem sendo um sucesso na liga. Em fevereiro, a revista Forbes divulgou números que mostram que a NBA vive o maior esplendor econômico de sua história. Além disso, um estudo do IEG/ESP garantiu que a liga quebrará a barreira de € 1 bilhão em patrocínios na atual temporada pela primeira vez.

Atualmente, as 30 franquias possuem patrocinadores de camisa. A última a fechar foi o Oklahoma City Thunder em meados de março. Veja abaixo a lista das 30 equipes e seus respectivos patrocinadores:

Atlanta Hawks (Sharecare)

Boston Celtics (General Electric)

Brooklyn Nets (Infor)

Charlotte Hornets (LendingTree)

Chicago Bulls (Zenni Optical)

Cleveland Cavaliers (Goodyear Tire & Rubber Company)

Dallas Mavericks (5miles)

Denver Nuggets (Western Union)

Detroit Pistons (Flagstar Bank)

Golden State Warriors (Rakuten)

Houston Rockets (Rokit Phones)

Indiana Pacers (Motorola)

Los Angeles Clippers (Bumble)

Los Angeles Lakers (Wish)

Memphis Grizzlies (FedEx)

Miami Heat (Ultimate Software)

Milwaukee Bucks (Harley-Davidson)

Minnesota Timberwolves (Fitbit)

New Orleans Pelicans (Zatarain's)

New York Knicks (Squarespace)

Oklahoma City Thunder (Love's Travel Stops & Country Stores)

Orlando Magic (The Walt Disney Company)

Philadelphia 76ers (StubHub)

Phoenix Suns (PayPal)

Portland Trail Blazers (Biofreeze)

Sacramento Kings (Blue Diamond Growers)

San Antonio Spurs (Frost Bank)

Toronto Raptors (Sun Life Financial)

Utah Jazz (Qualtrics)

Washington Wizards (Geico)


Notícia NBA patrocínio modelo franquia basquete estratégia gestão negócios impulso comercial fluxo de receita visibilidade