Tenista-sensação do momento, a japonesa Naomi Osaka criticou publicamente sua principal patrocinadora, a empresa alimentícia Nissin. O que causou a confusão foi uma propaganda lançada pela marca em que Osaka era transformada num personagem de mangá, desenho criado pelos japoneses. 

O problema é que, na animação, a tenista tinha a pele de cor branca. A atitude gerou revolta nas redes sociais, e Osaka foi atacada por permitir o "embranquecimento" de sua pele por parte do patrocinador.


Naomi Osaka em ação durante o Aberto da Austrália (esq.) e reporduzida no mangá da Nissin

A polêmica se desenvolveu um dia antes de Osaka conseguir a classificação para a grande final do Aberto da Austrália e teve a resposta da tenista nesta quinta-feira (24), após assegurar a classificação para a decisão do torneio.

"Eu estava focada na quadra, em minha classificação para a final, então fiquei à parte dessa discussão. Mas eu conversei com eles (Nissin)... Olha. Eu sou morena. Isso é meio óbvio. Não acho que eles fizeram isso de propósito, de me embranquecer", declarou a tenista em entrevista coletiva na Austrália.

Segundo Osaka, o caso já foi discutido com o patrocinador. Ela afirmou que "da próxima vez que forem utilizar a minha imagem, gostaria de ser consultada previamente".

Na quarta-feira, um porta-voz da Nissin já havia pedido desculpas pela confusão. A empresa foi acusada de não se preocupar com a diversidade étnica. A atleta patrocinada pela marca é filha de japonesa e haitiano, daí a cor de pele morena.

"Não houve intenção de embranquecer (a imagem de Naomi Osaka). Nós aceitamos que nós não fomos sensíveis o bastante e nós prestaremos mais atenção para questões de diversidade no futuro", afirmou um porta-voz da empresa, de acordo com reportagem do jornal inglês "The Guardian". 

O staff de Osaka, porém, havia permitido a utilização da imagem da tenista.


Notícia Marketing Patrocínio Naomi Osaka Nissin