Na tarde da última segunda-feira, a organização do Super Series, torneio amistoso em Manaus, declarou a ordem: paus de selfie estão proibidos na Arena da Amazônia durante os jogos. O objeto virou moda nos últimos meses, mas tem se transformado em vilão em eventos de entretenimento.

Em Manaus, será disputado um triangular entre três dos mais populares times do Brasil: Flamengo, Vasco e São Paulo se enfrentarão no torneio de pré-temporada. Mas, quem quiser tirar foto de si mesmo, terá que abrir mão de um suporte durante as partidas.

Em estádios, o pau de selfie já havia virado polêmica na Inglaterra. Rivais em Londres, dois dos principais clubes da cidade tomaram a decisão no mesmo dia. O Tottenham atendeu a uma reclamação de um torcedor no Twitter e baniu o objeto no White Hart Lane. Em seguida, Arsenal tomou a mesma atitude, alegando que o suporte poderia ser usado como arma.

E não é só no futebol que Brasil e Inglaterra têm fechado o cerco contra o pau de selfie. Em shows musicais, a mesma decisão tem sido tomada. No país europeu, as principais casas de espetáculo já anunciaram a proibição. Em São Paulo, ninguém pôde usar o bastão durante a apresentação do DJ David Guetta, no Anhembi, no último fim de semana.

Além da segurança, o outro argumento é o incômodo visual para quem está atrás do espectador com o pau de selfie. Agora, os estádios brasileiros terão que pensar em seu acesso nos torneios nacionais. Atualmente, em muitos estados, os mastros de bandeira são proibidos, independentemente do tamanho.


Notícia Gestão Marketing Pau de Selfie