A Mastercard mudou uma promoção lançada com Neymar e Messi após o técnico da seleção brasileira, Tite, criticar a iniciativa em uma coletiva de imprensa antes do amistoso contra a Croácia, no último domingo (3). A ação social que envolvia gols marcados pelos atletas, foi alterada pela empresa.

Originalmente, a campanha chamada ‘Juntos somos 10’ prometia ajudar o Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas com a doação de 10 mil refeições para pessoas carentes a cada gol de Neymar e Messi ao longo da Copa do Mundo de 2018.

Tite, no entanto, não esteve totalmente de acordo com a campanha da empresa, que patrocina a seleção brasileira. Para o treinador, a iniciativa não favorecia o espírito de jogo coletivo do futebol.

“É muito bonita essa doação em relação à entidade assistencial. É linda, grande. Assim como é grande também vocês darem pratos se todos os atletas da Argentina e do Brasil marcassem um gol. Assim como é grande também vocês darem pratos se todos os atletas da Argentina e do Brasil marcassem um gol. A gente trabalha enquanto equipe e com todos esses valores pode frustrar um pouquinho”, afirmou o treinador.

Após a ressalva de Tite, também houve repercussões nas redes sociais, com torcedores que questionaram a empresa do porquê limitar a doação de alimentos ao número de gols marcados pelos jogadores.

Nesta segunda-feira (4), a Mastercard atendeu os pedidos. Neymar e Messi permanecem como embaixadores do programa, mas 1 milhão de refeições serão doadas, independentemente do número de gols marcados pelos dois jogadores.

“Não queremos que torcedores, jogadores ou qualquer pessoa perca o foco na questão crítica da fome e em nossos esforços para aumentar o apoio a essa causa”, justificou a companhia em posicionamento oficial.

Veja a campanha original:


Notícia Mastercard Neymar Messi Tite