Duas semanas após revelar que negocia com a África do Sul para voltar ao continente africano, a Fórmula 1 divulgou que iniciou conversas também com o Marrocos. A proposta é de uma prova na cidade de Marrakech. A última corrida realizada pela categoria no país foi em 1958, com vitória do britânico Stirling Moss.

Em declarações à imprensa, Sean Bratches, diretor geral de comunicação e operações comerciais da F1, vem salientando a importância de ter uma prova na África para os objetivos da categoria. A cidade marroquina ganha força por ter recebido corridas da Fórmula E nos últimos três anos.

Foto: Reprodução / Twitter (@MercedesAMGF1)

"A Fórmula 1 correu na África do Sul antes e há uma pista histórica em Kyalami. Além disso, fomos abordados de forma concreta pelo Marrocos e pela cidade de Marrakesh para fazer um Grande Prêmio lá. Existe um alto grau de interesse por parte deles. Em suma, estamos procurando, a curto prazo, ter uma corrida por lá. É realmente importante para nós ter uma corrida na África", afirmou o executivo.

A Fórmula 1 tem buscado novos mercados desde que a Liberty Media assumiu o controle da categoria. Em novembro do ano passado, foi confirmado um Grande Prêmio do Vietnã no ano que vem. Nesta semana, mais precisamente na última terça-feira (14), o GP da Holanda foi anunciado como outra novidade para o calendário de 2020.

Além de África do Sul e Marrocos, concorrentes por uma prova no continente africano, ainda há conversas por uma segunda corrida nos EUA (Miami) e na China, assim como outra na região da Escandinávia, com a Dinamarca como favorita.


Notícia Fórmula 1 F1 Marrocos mercado africano marketing estratégia gestão Liberty Media