Em mais um movimento inédito no mercado, a Máquina do Esporte apresenta o primeiro estudo sobre a entrada das empresas de soluções financeiras digitais no futebol nacional. O estudo "As fintechs no futebol" mostra qual a estratégia adotada pelas empresas do segmento ao investir no patrocínio esportivo, especialmente a partir de janeiro.

O levantamento é o primeiro realizado pelo Núcleo de Estudos da Máquina do Esporte, liderado por Duda Lopes, jornalista com MBA em marketing pela FGV-SP. Nele, detalhamos os investimentos feitos pelas empresas do segmento, mostramos os motivos que levaram as fintechs a apostar no futebol e, também, mostramos resultados das ações já feitas.

"A entrada das fintechs no futebol se deu de forma muito acelerada neste começo de ano. As empresas do segmento apostaram alto no futebol, fazendo com que a temida saída da Caixa fosse de certa forma amenizada. Decidimos compilar todas as informações sobre esse segmento, que se tornou um novo filão para o esporte. A ideia é mostrar para as entidades esportivas quais as oportunidades de negócio que existem. E, para as marcas, é uma forma de analisar o que a concorrência tem feito", contou Duda Lopes, autor do estudo.

O levantamento contém 37 páginas, traz análises mais profundas das principais investidoras no segmento e, ainda, uma entrevista com o pioneiro nesse movimento, o Banco Inter.

O relatório "As fintechs no futebol" está à venda por R$ 79,90 e pode ser comprado no botão logo abaixo. 


Notícia São Paulo Marketing Patrocínio Banco Inter BMG BS2 Digi+ Corinthians São Paulo Flamengo Athletico Cruzeiro Atlético-MG Vasco