Imagem do circuito de Sepang durante GP da F-1

O governo da Malásia avisou que não irá renovar com a FOM (Fórmula One Management) o contrato para a promoção da etapa local do Mundial da categoria. O atual contrato vence em 2018. O país do sudeste asiático abriga GPs da F-1 desde 1999.

“É muito cara”, argumentou Seri Nazri Aziz, o ministro malaio da Cultura e Turismo.

Segundo ele, os ganhos turísticos com a promoção da corrida vêm despencando nos últimos anos. O circuito de Sepang, localizado a 40 km de Kuala Lumpur, a capital do país, foi inaugurado em 7 de março de 1999. Nesse ano, foi sede do primeiro GP da Malásia de F-1, vencido pelo britânico Eddie Irvine, da Ferrari.

A etapa deste ano aconteceu em 2 de outubro e foi vendida pelo australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull. O principal patrocinador da etapa é o grupo petrolífero Petronas. 

“É muito cara”, argumentou Seri Nazri Aziz, o ministro malaio da Cultura e Turismo.

Segundo ele, os ganhos turísticos com a promoção da corrida vêm despencando nos últimos anos. O circuito de Sepang, localizado a 40 km de Kuala Lumpur, a capital do país, foi inaugurado em 7 de março de 1999. Nesse ano, foi sede do primeiro GP da Malásia de F-1, vencido pelo britânico Eddie Irvine, da Ferrari.

A etapa deste ano aconteceu em 2 de outubro e foi vendida pelo australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull. O principal patrocinador da etapa é o grupo petrolífero Petronas. 


Notícia Sepang Fórmula 1 GP da Malásia Corte