Após os problemas enfrentados na última decisão da Libertadores, a Conmebol divulgou novas exigências de segurança para a disputa do torneio. A entidade apresentou uma série de mudanças para os próximos anos da principal disputa entre clube da América do Sul.

A partir da edição deste ano, estão proibidos objetos pirotécnicos, como sinalizadores. Além disso, os bandeirões de torcidas também não poderão mais ser abertos nas arquibancadas dos estádios que estão na Libertadores.

Outra mudança em relação aos torcedores está no veto a cadeiras provisórias. As estruturas são montadas por times para que os estádios possam chegar ao número mínimo de assento para receber partidas do torneio.

Até 2021, todos os ingressos deverão ser vendidos pela internet. Além disso, todos os tíquetes deverão ter o nome do torcedor que comprou a entrada, com o local onde ele deverá ficar na arena, com numeração.

Por fim, a Conmebol também tornará obrigatório a internet por wifi nos estádios, especialmente para o trabalho dos profissionais de imprensa.

Com as medidas, a entidade tenta apaziguar a imagem deixada na última edição da Libertadores. A segunda partida entre Boca Juniors e River Plate foi adiada após o ônibus do Boca ser apedrejado por torcedores rivais. Por segurança, o duelo não pôde acontecer em Bueno Aires e terminou em Madri.

Em 2019, por sinal, será a primeira edição da Libertadores com uma final única, em modelo copiado da Liga dos Campeões da Europa. A capital chilena Santiago receberá a próxima decisão do torneio sul-americano.  


Notícia Libertadores Conmebol Gestão