A Le Coq Sportif, marca francesa que vestiu seleções como a Argentina na década de 1980, mas que perdeu força nos anos seguintes e deixou o futebol, iniciou uma nova operação no Brasil. A SPR, empresa que também administra a marca Kappa no país e gere redes de lojas de vários clubes de futebol – Corinthians, São Paulo, Vasco, Cruzeiro, Internacional e Vitória –, é a responsável pela ressureição do galo esportivo no mercado brasileiro. Agora, a primeira loja de um plano que contempla 50 unidades até 2017 será aberta no Shopping Morumbi, em São Paulo.

O posicionamento da marca mudou. Em vez de investir em futebol, a Le Coq vai trabalhar com roupas casuais, para o dia a dia, as chamadas lifestyle. A primeira coleção terá 120 peças, entre vestuário, calçados e acessórios. A fabricação será toda feita no Brasil no caso das roupas, mas sapatos e acessórios serão importados da França e de Portugal. "Os produtos que desenvolveremos aqui no Brasil seguem os padrões e modelagens originais da marca, mas serão tropicalizados conforme o DNA brasileiro", explicou Maria do Carmo Salies, mais conhecida como Dô, gerente da marca no país. Ao todo, a SPR investiu R$ 10 milhões de recursos próprios para colocar a operação em funcionamento.

A Le Coq Sportif foi criada em 1882 por Émile Camuset para fornecer materiais esportivos para jogadores de futebol, ciclistas e jogadores de rúgbi na região de Seine, na França. Em 1929, foi lançada uma coleção específica para ciclistas. Depois, em 1951, a marca repercutiu ao assinar patrocínios a algumas seleções de futebol africanas. Daí em diante os patrocínios foram estendidos para o tênis e para times de futebol como Chelsea, Paris Saint-Germain e Tottenham, além de atletas como Michel Platini, Joakim Noah e Sébastien Loeb. A seleção argentina campeã da Copa do Mundo de 1986, com Diego Armando Maradona no auge, era o maior ativo da empresa.


Notícia Le Coq SPR