Os gestos feitos pelos jogadores da Suíça Xhaka e Shaqiri ao comemorarem seus gols diante da Sérvia, como forma de pedir a independência de Kosovo, rendeu multa da Fifa e uma reação no mínimo inusitada de torcedores kosovares.

Os dois jogadores, ambos de origem kosovar, fizeram um sinal com as mãos simbolizando a águia da bandeira da Albânia, que é a etnia dominante no Kosovo, cuja independência ainda não é reconhecida por Belgrado, capital da Sérvia.

Foto: Reprodução

O gesto rendeu multa de 8.600 euros aos autores dos gols e de 4.300 a Lichtsteiner, que também fez o gesto durante a comemoração. O caso gerou uma mobilização de kosovares na internet. Até mesmo o ministro do comércio e da indústria de Kosovo doou seu salário de 1.500 euros para auxiliar os atletas. O resultado da campanha on-line mostra o tamanho da disputa entre Kosovo e Sérvia. Em menos de um dia, mais de 770 doações foram feitas, arrecadando 27 mil euros, mais do que os 25 mil que eram propostos pela iniciativa.

Shaqiri nasceu no Kosovo em 1991, quando o local ainda era província sérvia de maioria albanesa. A família fugiu da região um ano depois, ano em que Xhaka nasceu, na Suíça, mas de família kosovar. Seu irmão, Taulant, joga pela Albânia.

Nesta quarta-feira (27), a Sérvia enfrenta o Brasil na disputa por uma vaga nas oitavas de final. Já a Suíça encara a Costa Rica e também tenta confirmar a classificação. Mesmo que ambas passem de fase, elas dificilmente voltam a se enfrentar, já que apenas na final da Copa esse cruzamento seria possível.


Notícia Copa do Mundo Suíça Xhaka Shaqiri Sérvia Albânia Kosovo etnia campanha mídia multa Fifa