Em julho de 2018, a Juventus anunciou uma contratação que ficará na história do futebol; o time de Turim acertou com Cristiano Ronaldo, em uma transferência de 100 milhões de euros. Apesar do status do astro português, uma dúvida pairou pelo esporte: valeria o investimento tão alto em um atleta que, na época tinha 32 anos? A resposta ficou mais clara nesta semana.

A consultoria Deloitte lançou a versão 2020 do Football Money League, que há 23 anos analisa as finanças das principais equipes de futebol do mundo. A companhia pôde então mostrar que a Juventus, no primeiro de quatro anos com Cristiano Ronaldo, teve um acréscimo considerável em suas finanças.

O time italiano, o décimo do mundo que mais faturou na temporada 2018/2019, recebeu 460 milhões de euros. Foram 65 milhões de euros a mais me relação ao período anterior.

O incremento nas receitas comerciais, de licenciados e patrocínios, foi o principal responsável pelo aumento de verba do time. Com Cristiano Ronaldo, a Juventus passou de 143 milhões de euros para 186 milhões no faturamento do segmento.

Nos últimos cinco anos, a equipe de Turim tem tido alta nas receitas comerciais, mas em nenhum ano o incremento foi tão alto quanto na última temporada. Há algumas explicações. Uma delas é o bônus da Adidas pelo o clube ter atingido a meta de exposição; foram 15 milhões de euros da empresa alemã. Outra fonte significativa foi a venda de licenciados, com um acréscimo de 16 milhões de euros. Nessa área, é difícil afastar o peso direto de Cristiano Ronaldo.

Além dos números comerciais, ficou claro que torcedores e empresas têm pagado mais para ver a Juventus jogar com o astro em campo. As receitas de matchday passaram de 51 milhões de euros para 66 milhões. Em comparação, quando os italianos chegaram à final da Liga dos Campeões, na temporada anterior, esse número ficou em 52 milhões de euros. Com Cristiano Ronaldo, a Juventus teve a maior receita da história de seu novo estádio.

A perspectiva para a próxima temporada é otimista, graças aos novos acordos com a Adidas e a Jeep. Provavelmente, a equipe já poderá contabilizar 100 milhões de euros extras no faturamento após a chegada de Cristiano Ronaldo, o mesmo valor pago pelo atleta. O crescimento deveria acontecer de qualquer jeito, mas não há dúvida que o craque acelerou o processo.


Notícia Juventus Cristiano Ronaldo Gestão