Desde que os primeiros casos de coronavírus surgiram em território japonês entre o final de janeiro e o começo de fevereiro, o governo do país se mostrou preocupado, mas não havia cogitado a possibilidade de adiar ou cancelar os Jogos Olímpicos previstos para Tóquio entre os meses de julho e agosto. Nesta terça-feira (3), porém, uma autoridade do país admitiu uma chance de mudança de data como uma situação a ser considerada.

A responsável pela afirmação foi Seiko Hashimoto, ex-patinadora e atual ministra dos Jogos Olímpicos no Japão. Segundo ela, no contrato assinado com o Comitê Olímpico Internacional (COI), está previsto que o evento seja realizado em 2020, mas não há uma data exata especificada. Em uma interpretação possível de ser feita, e que foi feita pelo governo japonês, a brecha abre a possibilidade de um adiamento da competição por alguns meses.

Foto: Reprodução

"O COI tem o direito de cancelar os Jogos somente se eles não ocorrerem dentro de 2020. Isso pode ser interpretado como a possibilidade de os Jogos serem adiados, contanto que sejam realizados durante esse ano. Estamos, no entanto, fazendo o máximo de esforços para que não tenhamos de encarar essa situação", disse a ministra, durante um encontro na sede do poder legislativo do país.

O COI, por sua vez, publicou uma nota oficial em que reforçou o compromisso de realizar os Jogos de Tóquio na data previamente estipulada, ou seja, de 24 de julho a 9 de agosto.

"Uma força-tarefa conjunta já havia sido criada em meados de fevereiro, envolvendo o COI, Tóquio 2020, a cidade anfitriã de Tóquio, o governo do Japão e a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Comitê Executivo do COI aprecia e apoia as medidas que estão sendo tomadas, que constituem uma parte importante dos planos de Tóquio de sediar Jogos seguros e protegidos", afirmou a entidade, no comunicado enviado à imprensa.

Ao lado de Coreia do Sul e Itália, o Japão é um dos três países que mais têm registrado novos casos do coronavírus após a China. Até agora, foram confirmados 274 casos da doença em território japonês, com seis mortes. No mundo, o número de casos já ultrapassou 91 mil, com 3.118 mortes, a grande maioria delas na China. 


Notícia Jogos Olímpicos Tóquio 2020 Japão surto coronavírus adiamento gestão governo japonês COI