A Copa América, que começa no mês que vem no Brasil, tem conseguido apoio na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para fechar seus parceiros comerciais. Até agora, os quatro patrocinadores da competição são também marcas que estão juntas da seleção brasileira regularmente.

A GOL foi a última empresa a se juntar às marcas Brahma, MasterCard e TCL como apoiadoras da competição. As quatro são, também, patrocinadoras da CBF. O aporte da companhia aérea acontece num momento importante para a organização do evento. A GOL disponibilizará 50 voos fretados para as seleções que disputam a competição, dando mais tranquilidade para o deslocamento das delegações.

Foto: Reprodução / Twitter (@VoeGOLoficial)

Na última semana, a Avianca, em processo de falência, teve todos os voos suspensos por decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Dessa forma, as outras companhias aéreas estão tendo de assumir os passageiros que voariam pela empresa de origem colombiana. Como a Copa América acontece entre 14 de junho e 7 de julho, poderia existir um colapso aéreo no país por conta do período que coincide com as férias. Os voos fretados assegurarão aos times que disputam o torneio que não haja qualquer imprevisto para o deslocamento dos atletas. 

Para ativar o patrocínio, a GOL pretende repetir parte da estratégia que fez com o Brasil na Copa do Mundo de 2018 e que rendeu à companhia o prêmio de Melhor Ativação de Patrocínio nos "Melhores do Ano" da Máquina do Esporte.

Os voos da empresa exibirão as partidas da competição ao vivo. Além disso, algumas ações estão programadas para os jogos disputados pela seleção brasileira. Dessa vez, porém, a empresa não terá Neymar como garoto-propaganda.


Notícia GOL patrocínio seleção brasileira Copa América marketing mercado estratégia