Na semana passada, a TV Globo foi alvo de um protesto virtual de torcedores do Palmeiras, inconformados com a revelação de que a emissora vai oferecer menos dinheiro no pacote de TV aberta para os clubes que estão com o Esporte Interativo na transmissão do Brasileiro de 2019 na TV fechada.

E o contrato com a rival, que fechou com alguns clubes, como Santos e Palmeiras, é usado pela emissora para explicar a diferença nos valores oferecidos a quem assinou todos os contratos com empresas do Grupo Globo.

Segundo reportagem publicada na "Folha de São Paulo", o Santos fechou recentemente contrato com a Globo para a TV aberta recebendo menos do que aquele que optou por assinar com o Sportv. Times como Palmeiras e Atlético-PR ainda negociam com a Globo.

A lógica usada pela emissora para propor o valor menor é por causa da incapacidade de a emissora controlar a distribuição dos jogos na tabela do campeonato. Atualmente, como o Grupo Globo é o único detentor dos direitos para todas as mídias, os diferentes meios nunca transmitem as mesmas partidas. Não é o caso com o Esporte Interativo.

"A aquisição de direitos esportivos é mais complexa do que parece em uma primeira análise, não se limitando à definição da tela a que se destina a exibição e preço que se paga pelos direitos. Envolve, também, especificações que influenciam como se dará a exploração em cada uma das praças de exibição, tais como a prioridade na escolha de jogos, exclusividade ou não na mídia em questão e versus outras plataformas, afinal vivemos a era da convergência e ofertas de TV e Internet, por exemplo, competem entre si. Chamemos tais especificações de 'pacote de direitos'. Quem pagaria por um conteúdo se o mesmo é oferecido também em outro lugar? Como concentrar a audiência e extrair o retorno comercial esperado se o mesmo produto está disponível em outro canal? As especificações do 'pacote de direitos' é que respondem e previnem essas questões, feito uma 'bula' para remédios", afirmou à Máquina do Esporte Fernando Manuel, diretor de direitos esportivos do Grupo Globo.

Segundo o executivo, os mesmos valores só seriam aplicados se houvesse uma mudança na entrega dos direitos.

"Caso os clubes que já cederam seus direitos de TV Fechada a terceiro possam ceder às empresas do Grupo Globo o mesmo “pacote de TV Aberta” e “pacote de PPV” adquiridos dos demais clubes, receberão pelo que estamos propondo o mesmo valor que os demais. Caso contrário, receberiam de forma proporcional ao pacote de direitos cedidos", complementou.


Notícia Palmeiras Mídia Globo Esporte Interativo Direitos de TV Brasileirão