Jogadores do Fluminense com crianças refugiadas

Fluminense e Madureira fizeram homenagem, nesta quarta-feira (dia 29), aos cerca de 65 milhões de refugiados em todo o mundo. Os jogadores entraram em campo de mãos dadas com 15 crianças de que vivem no Brasil fugindo da guerra em seus países de origem. A partida valeu pela Taça Rio, equivalente ao segundo turno do Campeonato Carioca. 

Além disso, os capitães dos times usaram como braçadeira a bandeira criada pela artista síria Yara Said, que vive em Amsterdã. O símbolo tem como inspiração as cores do colete de salva-vidas que muitos precisam usar quando tentam alcançar o continente europeu através do Mar Mediterrâneo. A bandeira já foi utilizada durante os Jogos Olímpicos do Rio 2016 pelo time de refugiados.

A iniciativa, liderada pela agência Ogilvy, foi uma parceria do Fluminense com o projeto “The Refuge Nation” idealizado por artistas e refugiados, que buscam dar uma identidade a essas pessoas e ser um símbolo de solidariedade e esperança aos que sofrem as consequências das guerras. No jogo, o ex-refugiado de Guiné e atacante do Madureira, Abdoulaye Maza Sylla, também recebeu homenagem.


Notícia Fluminense Fluminense Madureira Homenagem Refugiados Ação Social