A Copa do Mundo de Vôlei Feminino terminou no último domingo (29), no Japão. O título da competição ficou com a China, e o Brasil encerrou sua participação com a quarta colocação. Fora de quadra, no entanto, a Federação Internacional de Vôlei (FIVB) utilizou o torneio para dialogar com empresas, emissoras de televisão e dirigentes japoneses. Tudo isso na tentativa de revolucionar o futuro da modalidade.

Uma das principais reuniões comandadas pelo presidente da entidade, o brasileiro Ary Graça, foi com a Dentsu, uma das maiores agências de publicidade do mundo, que trabalha com os direitos comerciais da FIVB desde 2013, com contrato até o ano que vem. A ideia é renovar a parceria. Na reunião, o mandatário revelou que o mercado está cada vez mais competitivo quando o assunto é garantir a atenção dos fãs e que, por isso, a estratégia que será usada daqui em diante estará focada em três pilares: inclusão, inovação e entretenimento.

Foto: Reprodução / Site (fivb.org)

"O voleibol é um jogo para todos, independentemente de raça, gênero, etnia, classe ou idade. Já somos o segundo esporte mais popular do mundo, de acordo com um relatório da Nielsen, e com nosso foco em inovação e parcerias estratégicas, cuidadosamente desenvolvidas com as principais partes interessadas, não há limite para o crescimento do voleibol como esporte global", afirmou Graça.

Ainda na apresentação à Dentsu, o presidente falou sobre o sucesso alcançado até o momento pela Liga das Nações e também sobre o foco cada vez maior da entidade no engajamento e no entretenimento dos fãs da modalidade.

"O vôlei não é mais apenas um jogo. Agora existe uma narrativa clara em todos os principais eventos da FIVB, focada em envolver os fãs. A nossa é uma abordagem verdadeiramente única, na qual convidamos os fãs a fazer parte do show. É assim que cativamos nosso público, não apenas aqueles no ginásio, mas em todo o mundo assistindo pela televisão ou por meio da TV de vôlei", explicou o executivo.

Sede da Copa do Mundo de Vôlei Feminino nas últimas semanas, o Japão também recebe a partir desta terça-feira (1º) a Copa do Mundo Masculina e ainda se prepara para ser o anfitrião dos Jogos Olímpicos no ano que vem. O foco dado ao país ainda serviu como mote para que a FIVB destacasse a importância do mercado asiático para o presente e o futuro do vôlei.

"Atualmente, a Ásia é nosso foco principal, e estamos trabalhando duro para garantir nossa presença e relevância em vários mercados em todo o continente. Estão disponíveis oportunidades para sediar os principais eventos futuros de vôlei e vôlei de praia, e estamos muito interessados em trazê-los para a Ásia", concluiu o mandatário.


Notícia FIVB vôlei mercado asiático Japão futuro inclusão inovação entretenimento estratégia gestão engajamento marketing