O grupo chinês Wanda é o novo patrocinador da Fifa. O conglomerado, que une centros comerciais, hotéis de luxo e cinema, se une a Adidas, Coca-Cola, Gazprom, Hyundai/Kia e Visa no grupo dos principais apoiadores da entidade máxima do futebol mundial.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o novo presidente da Fifa, Gianni Infantino, ressaltou o que seriam “novos ares” na entidade, que nos últimos meses esteve cercada de escândalos. O ex-presidente Joseph Blatter teve que renunciar ao cargo em 2015.

“É um contrato muito importante, que me deixa muito feliz. As duas últimas semanas foram ótimas”, afirmou Infantino sobre o contrato e o período em que esteve por trás da Fifa.

O anúncio de um novo patrocinador surge no dia seguinte à entidade publicar uma situação financeira menos favorável em relação aos anos anteriores. Segundo o balanço financeiro de 2015, a Fifa teve um prejuízo superior a R$ 400 milhões. Foi a primeira vez que a organização fechou no vermelho desde 2002.

Em meio aos seguidos escândalos de corrupção, além de diversas acusações sobre as futuras sedes da Copa do Mundo, a Fifa viu parceiros fortes se retirarem da entidade, caso de Emirates e Sony, por exemplo.

A Fifa não será a estreia do Grupo Wanda no futebol. Atualmente, a empresa patrocina Campeonato Chinês. Na Espanha, a empresa detém parte do Atlético de Madrid. Em 2015, a companhia adquiriu a agência de marketing esportivo Infront Sports & Media AG, dirigida pelo sobrinho de Blatter. 


Notícia Wanda Fifa Patrocínio