A Real Federação Espanhola de Futebol (Rfef) planeja arrecadar US$ 350 milhões em 2020. O objetivo, com isso, é fortalecer cada vez mais a LaLiga e colocá-la em um patamar cada vez mais próximo da Premier League, considerado o melhor campeonato nacional de futebol do mundo.

Para alcançar os valores pretendidos, a entidade considera dois fatores em especial: o primeiro é o polêmico acordo firmado com a Arábia Saudita de levar para o país, por três anos, as finais da Copa del Rey por um exorbitante valor de US$ 133 milhões.

Foto: Reprodução / Twitter (@SeFutbol)

Já o segundo é a presença da Espanha na Euro 2020 e o fato de o país ser uma das 12 sedes da competição. Só com bilheteria a expectativa é de faturar US$ 13 milhões em Bilbao, cidade escolhida pela Uefa para receber os jogos da maior competição europeia de seleções em território espanhol.

Outra forma de lucrar com a seleção espanhola na Euro do ano que vem será com o aumento do número de patrocínios. Por conta da visibilidade que o torneio terá, a Rfef colocou no orçamento um valor 37% maior do que o pretendido para 2019. A ideia, com isso, é faturar cerca de US$ 45 milhões apenas com empresas interessadas em ligar suas logomarcas com a "Fúria".


Notícia Rfef Espanha seleção espanhola receita faturamento gestão estratégia patrocínio marketing Copa del Rey Arábia Saudita Euro 2020