Armstrong toma champanhe em frente ao Arco do Triunfo, em Paris

A União Ciclística Internacional quer proibir Lance Armstrong de participar de um tour beneficente que cobrirá o mesmo percurso da Volta da França em 2016. Brian Cookson, presidente da UCI advertiu que seria “desrespeitoso” por parte do norte-americano participar dessa rota paralela à mais famosa prova de estrada do ciclismo.

Lance Armstrong foi banido do esporte e teve suas sete conquistas da Volta da França (1999 a 2005) cassadas por causa de uso de doping. A Usada (Agência Antidoping dos EUA), que impôs a pena ao ciclista, não fez objeções a sua participação no tour beneficente.

O convite para participar da rota paralela partiu do britânico Geoff Thomas, ex-jogador de futebol. Além de Lance, outros famosos fariam esse percurso. Armstrong e seus colegas correriam a mesma rota da Volta da França um dia antes do verdadeiro pelotão.

Para a UCI isso seria uma provocação e poderia prejudicar a promoção da prova, que tenta se reerguer após vários escândalos de doping. “Estou seguro que Geoff Thomas tem boas intenções. Mas francamente, isso é inapropriado e desrespeitoso ao Tour e aos atuais corredores”, afirmou Cookson. “Armstrong será advertido de que não deveria tomar parte nisso”, acrescentou o dirigente. 


Notícia Ciclismo Lance Armstrong Doping Volta da França Evento Beneficente