A GVC Holdings, empresa que detém as marcas de apostas Ladbrokes e Coral, tem feito campanha no Reino Unido para que justamente as marcas de apostas deixem de patrocinar camisas de times de futebol no país.

Foto: Reprodução / Site (www.burnleyfootballclub.com)

A ideia da empresa é de que as marcas do segmento comecem a fazer propaganda sobre uso responsável das apostas e a reduzir o convite para que as pessoas apostem. De acordo com especialistas, proibir o patrocínio de camisa de times poderia auxiliar a reduzir o vício em jogos dos apostadores, um problema crescente na Inglaterra.

Para se ter uma ideia, atualmente, nove times da Premier League e 17 da Championship (segunda divisão) são patrocinados por empresas de apostas. E o assunto vem sendo notícia desde o ano passado.

Em dezembro, a associação de casas de apostas da Inglaterra chegou a um acordo para proibir a veiculação de propaganda na televisão durante a transmissão de eventos esportivos. A medida foi tomada para que a prática não incentive as pessoas a gastarem mais dinheiro com apostas, já que o jogo é liberado na Inglaterra e é uma das principais fontes de receita do mercado esportivo.

LEIA MAIS: Inglaterra bane anúncios de apostas antes, durante e após jogos

De acordo com um relatório da Gambling Commission (Comissão de Jogos de Azar), há cerca de 430 mil britânicos que podem ser descritos como "jogadores problemáticos" no país, enquanto a Remote Gambling Commission (Associação de Jogos de Azar Remotos) já havia divulgado que é "muito consciente" em relação à preocupação pública sobre o assunto.


Notícia Futebol inglês casas de apostas patrocínio marketing mercado GVC Holdings