Entre 25 de abril e 14 de agosto, a ESPN passou por uma reformulação total do seu quadro diretivo. Semanas após o Cade decidir que o Grupo Disney teria de vender os canais Fox Sports para poder seguir com o controle da ESPN no Brasil, a emissora deu início à troca de todo o comando dentro do país.

LEIA MAIS: Cade decide que Disney terá de vender Fox Sports no Brasil

O primeiro a sair foi Marcello Zeni, que há mais de 15 anos era vice-presidente de afiliadas, responsável por toda a negociação com as operadoras para incluir os canais ESPN nas grades de programação. Dois dias depois, German Hartenstein deixou o cargo de CEO da empresa. No início de julho, Rafael Davini, VP comercial, teve a saída anunciada. E, nesta quarta-feira (14), foi a vez de ser anunciada a saída de João Palomino, que estava há 25 anos na emissora e era VP de conteúdo.

João Palomino estava na emissora há 25 anos (Foto: Divulgação / ESPN Brasil)

Além do executivo, diversos outros funcionários da redação da ESPN foram demitidos, entre eles os que estavam mais próximos de Palomino numa teórica linha de sucessão. Jornalistas históricos da emissora, como Juca Kfouri e João Canalha, também foram desligados da empresa, que emitiu um comunicado sucinto:

"A ESPN vive um processo de transformação e adaptação para atender aos fãs, acionistas e clientes de esportes em meio às constantes mudanças no consumo de conteúdo. A reformulação faz parte do planejamento da emissora para o próximo ano, em que seguirá apostando no conteúdo ao vivo e nos direitos esportivos de futebol, tais como Premier League e LaLiga, além de ligas norte-americanas".

LEIA MAIS: Análise: Mudanças em canais geram dúvidas no mercado

A saída de Palomino é simbólica. Ele foi um dos primeiros jornalistas da equipe da ESPN no Brasil, tendo iniciado seu trabalho na empresa em 1995, ainda como repórter e apresentador, após passagens em veículos como Rede Manchete, SBT e TV Cultura. Ao longo da carreira, tornou-se apresentador e narrador esportivo, tendo participado da cobertura de grandes eventos, como seis edições de Jogos Olímpicos e quatro Copas do Mundo, narrando as finais do Mundial de futebol em 2006 e 2010. Ele permaneceu em cargos jornalísticos até 2012, quando assumiu a chefia da redação da ESPN, no lugar de José Trajano, que havia criado a emissora.

Antes mesmo da saída de Palomino, quem estava à frente das decisões da emissora era Michel Piestun, ex-diretor geral da Fox no Brasil e que desde março comanda o grupo Disney no país, após a fusão entre as empresas. Dentro da ESPN, Carlos Maluf, diretor de aquisições e novos negócios, tem assumido as responsabilidades à frente da empresa, apesar de não ter sido oficializado até o momento no cargo.


Notícia ESPN João Palomino Fox Fox Sports Disney mídia demissão reestruturação gestão mercado