No final da semana passada, o Internacional anunciou um acordo de patrocínio com a rede de lojas Pompeia que será válido para a equipe feminina do clube. O que é um motivo de contentamento para as Gurias Coloradas, como a equipe é chamada, é também um ponto de preocupação para o mercado gaúcho.

A empresa já havia fechado parceria também com o Grêmio, seguindo o caminho aberto nos dois clubes pela Uber no início do mês passado. É um movimento que fortalece o futebol feminino dos rivais gaúchos, mas é também o mesmo limitador que já existe no futebol masculino.

O que chama atenção na estratégia adotada pelas duas marcas é o fato de elas manterem entre as mulheres o mesmo comportamento que é visto entre os homens. Também no feminino, a dupla Gre-Nal segue dividindo os mesmos patrocinadores.

Foto: Reprodução / Site (internacional.com.br)

Ao todo, são seis as marcas que fazem parte do portfólio tanto de Grêmio como de Internacional: Banrisul, Laghetto Hotéis, Unimed e Vero estampam as duas camisas, enquanto a Uber e a Brahma não possuem a marca nos uniformes, mas também ativam os dois rivais. No feminino, Uber e Lojas Pompeia aparecem na camisa das jogadoras tricolores e coloradas.

Dessa forma, a única diferença entre as camisas da dupla Gre-Nal, além das tradicionais cores de cada clube, obviamente, é a fornecedora de material esportivo. Atualmente, o Grêmio é patrocinado pela Umbro, enquanto o Inter é vestido pela Nike. Em 2020, o clube colorado substituirá a marca americana pela alemã Adidas.


Notícia Grêmio Internacional patrocínio marketing futebol feminino futebol masculino mercado gaúcho estratégia Gre-Nal