O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) confirmou nesta quarta-feira (27) que a Disney terá que vender a operação do Fox Sports no Brasil. O órgão apresentou também algumas condições para o grupo de mídia atuar no país sem concentrar mercado, em um Acordo em Controle de Concentrações (ACC).

Pelo documento, a Disney não poderá comprar novamente as ligas esportivas que hoje pertencem ao Fox Sports. O canal não poderá negociar para levar a Libertadores, por exemplo, à ESPN, canal que pertence à empresa. A competição sul-americana é o principal produto da Fox no Brasil, com contrato válido até 2022 com a emissora.

Além disso, o Cade determinou que a Disney terá que licenciar gratuitamente a marca do Fox Sports ao futuro comprador das operações do canal. Por enquanto, a empresa ainda procura companhias interessadas; não há candidatos por ora. Entre os grupos de mídia, apenas a Globo não poderá adquirir a companhia. O prazo para a venda é confidencial.

Os ativos a serem vendidos pela Disney incluem "todos os direitos de transmissão de eventos esportivos pertencentes à Fox Sports, todos os contratos com operadoras de TV por assinatura, funcionários-chave, imóveis e equipamentos de transmissão".

Com essas condições, o Cade aprovou a compra da Fox pela Disney no Brasil, uma operação global que movimento mais de US$ 50 bilhões. O órgão quis evitar no país a concentração de canais esportivos, já que hoje apenas Fox Sports, ESPN e Globo atuam no segmento da televisão fechada com mais força.


Notícia Disney Fox Sports ESPN Cade Direitos de Transmissão