A primeira rodada da temporada 2019/2020 da NFL trouxe consigo o já tradicional estudo da revista americana Forbes sobre os times mais ricos do futebol americano dos EUA. E, para variar, pela 13ª vez seguida, não houve nenhuma mudança no topo da lista: lá está novamente o Dallas Cowboys.

LEIA MAIS: Dallas Cowboys é tetra como time esportivo mais valioso do mundo

Como afirma a revista, o time do Texas "ainda é facilmente o rei da NFL". Com US$ 5,5 bilhões, a equipe ocupa o primeiro lugar no comparativo com as outras 31 franquias em diversos quesitos, como receitas com ingressos, camarotes, patrocínios e ainda eventos dentro de seu estádio que não possuem relação com a NFL.

Foto: Reprodução / Twitter (@dallascowboys)

Para se ter uma ideia da diferença imposta pelo Cowboys, na segunda colocação da lista surge o atual campeão New England Patriots, com US$ 4,1 bilhões, US$ 1,4 bilhões a menos que o líder. O Top 5 é preenchido com New York Giants (US$ 3,9 bilhões), Los Angeles Rams (US$ 3,8 bilhões) e San Francisco 49ers (US$ 3,5 bilhões).

Outro dado que chama atenção é que sete equipes (New York Giants, Los Angeles Rams, San Francisco 49ers, Chicago Bears, Oakland Raiders, Detroit Lions e Buffalo Bills) aumentaram em pelo menos 15% seus valores em relação ao ano passado. O número é considerado alto pela Forbes. Mesmo com a valorização, porém, o Buffalo Bills ainda é o último entre as 32 franquias, com US$ 1,9 bilhão.

A Forbes ainda faz uma observação importante com relação aos direitos de televisão. Atualmente, a NFL tem acordos com Comcast, CBS, ESPN, Fox e AT&T. Todos devem expirar em 2022 e rendem cerca de US$ 7,2 bilhões em média por temporada. Segundo a publicação, as perspectivas são otimistas para a próxima rodada de direitos. Isso porque as audiências de televisão aumentaram modestamente na última temporada, depois de dois anos de queda, sendo que a NFL gerou 40 dos 50 principais públicos esportivos dos EUA em 2018.  

Com o interesse de plataformas de streaming como Apple TV, Hulu, Sony PlayStation View e DAZN querendo entrar na briga, além, é claro, do interesse contínuo de gigantes como CBS, Fox, NBC e ESPN, a Forbes acredita que os valores ganhos com televisão possam até dobrar daqui a três anos. Para se ter uma ideia de como essa suposição não é fora da realidade, a Amazon estendeu seu acordo de streaming com a NFL na última temporada ao pagar 30% a mais e derrotar outros interessados como Twitter e YouTube.

LEIA MAIS: Abertura da NFL bate recordes de audiência nos EUA

LEIA MAIS: MLS prevê salto de faturamento com streaming em 2022

Por último, o que pode trazer ainda muito dinheiro à liga também é o setor de apostas esportivas. Embora a NFL já tenha um parceiro oficial de cassino, a Caesars Entertainment, e um provedor oficial de dados para apostas esportivas, a Sportradar AG, ainda não possui um parceiro oficial de apostas esportivas, como a NBA, a MLB e a NHL. Com o setor legalizado atualmente em 12 estados americanos e ganhando força, é bem provável que, em um futuro próximo, seja mais um incremento de receita importante para a NFL.


Notícia NFL Forbes Dallas Cowboys receita finanças valorização mercado