O Club Sportivo Alagoano (CSA) deve acertar nas próximas semanas a venda do clube para um fundo de investimento chinês. A revelação foi feita por Rafael Tenório, presidente do clube, em entrevista ao jornal "Alagoas 24 Horas".

Segundo apurou a Máquina do Esporte, a ideia de Tenório é manter a competitividade do clube alagoano com a venda.

Na avaliação do dirigente, para o CSA conseguir manter-se em evidência no cenário nacional, é preciso associar-se a um fundo de investimentos que garanta a manutenção do modelo de gestão mais profissional. Desde 2015, ao assumir a presidência do CSA, Tenório, empresário do ramo alimentício, levou o clube da Série D à Primeira Divisão em 2019.

Foto: Reprodução / Twitter (@CSAoficial)

"Isso tem sido estudado há algum tempo. Surgiu esta proposta do CSA se tornar um clube privado e receber este investimento. Estamos iniciando um processo de negociação comercial e que possamos dar continuidade a essa conversa", afirmou Tenório ao "Alagoas 24 Horas".

LEIA MAIS: Análise: Privatização é alternativa para clubes crescerem

Os investimentos para o clube devem passar de R$ 100 milhões. A ideia dos chineses é investir em melhorias de infraestrutura, como Centro de Treinamento e estádio, além de se comprometer a dar uma gestão profissional ao clube.

O projeto não prevê a mudança de nome do CSA, um dos receios da torcida alagoana. Recentemente, o Bragantino também foi comprado pela Red Bull, que quis acelerar o processo de ter um time na Primeira Divisão nacional. Outro clube que cedeu a gestão a terceiros foi o Botafogo de Ribeirão Preto (SP).


Notícia CSA fundo de investimento fundo chinês clube privado estratégia gestão mercado futebol nacional