Na última semana, os bancos da Croácia registraram um aumento no número de pedidos de empréstimos de curto prazo. E, muito provavelmente, pelos próximos dois dias, a busca por dinheiro seguirá em alta.

A classificação inédita para a final da Copa do Mundo do país de 4 milhões de habitantes na região dos Balcãs, próximo à Itália, gerou uma febre consumista na Croácia e fez o torcedor sair desesperado em busca de financiamento para custear uma viagem de cerca de € 1.300 até Moscou para a decisão do Mundial, no próximo domingo (15).

Alguns bancos já relataram ter tido um aumento de 30% nos pedidos de financiamento na última semana, quando os croatas enfrentaram a Rússia nas quartas de final. O movimento aumentou nos últimos dias e, agora, com a vaga inédita na final, tende a ser ainda maior. O movimento contrasta com a própria realidade do país, o menor que chega a uma decisão de Mundial desde 1950, com o Uruguai.

Foto: Reprodução

A Croácia é hoje um balneário de férias do europeu endinheirado. Com uma economia fraca, os croatas têm média salarial de cerca de € 750. O país tem sofrido com uma diáspora dos jovens, que têm se mudado para outras nações da Europa ou até mesmo da América do Norte em busca de melhores perspectivas de vida.

Confira a análise de Erich Beting, CEO da Máquina do Esporte.

A vaga na final da Copa do Mundo tem sido usada politicamente pelo país. A presidente Kolinda Grabar-Kitarovic, que virou manchete pelo mundo ao celebrar a classificação nos pênaltis sobre a Rússia direto do estádio em Sochi, abriu o caminho para a febre vermelha e branca tomar os políticos do país. Nesta quinta-feira (12), os ministros croatas foram trabalhar trajando a camisa da seleção. E, em entrevista aos jornalistas, celebraram o feito inédito obtido por Modric e cia. na Rússia.

“É uma ótima promoção para a Croácia. Toda a nossa história, nossos jogadores, nossos dados. Tudo isso tem sido buscado pelas pessoas no mundo todo. É uma comunhão essencial para o país”, disse o ministro das Finanças, Zdravko Maric.

Para o primeiro-ministro, Andrej Plenkovic, a classificação à final ajuda a mostrar para o jovem croata o orgulho de ser um representante do país.

“Temos, sem precedentes, a maior promoção da história do país. Essa classificação é uma forma de mostrarmos aos jovens a importância do esporte”, disse Plenkovic, reiterando que hoje é possível dizer que os croatas vivem um bom dia.

Caso a Croácia consiga o título inédito, o país poderá viver mais um pouco no conto de fadas da Copa do Mundo e esquecer dos seus problemas diários.


Notícia Croácia torcida economia promoção futebol final consumo Copa do Mundo