O final de semana foi de uma série de más notícias para os fãs de esportes espalhados pelo mundo. Com o surto de coronavírus tomando proporções cada vez maiores na Ásia e na Europa, uma série de eventos esportivos tiveram suas programações normais modificadas completamente para segurança dos astros e também do público.

A propagação da doença causou o primeiro cancelamento de um torneio de tênis, por exemplo. E não foi qualquer um. Na noite deste domingo (8), os organizadores do ATP 1000 de Indian Wells anunciaram que o evento que começaria nesta segunda-feira (9) foi adiado para evitar que o vírus se espalhasse, após a confirmação de um caso na região onde fica a cidade, no estado americano da Califórnia.

"Estamos muito desapontados que o torneio não ocorra, mas a saúde e a segurança da comunidade local, fãs, jogadores, voluntários, patrocinadores, funcionários, fornecedores e todos os envolvidos no evento são de suma importância", disse Tommy Haas, ex-tenista e atual diretor do torneio.

A nova data de realização não está definida e precisaria ser recolocada no calendário da ATP, o que pode implicar no cancelamento da edição de 2020 do torneio. Essa hipótese é, inclusive, a mais provável. A organização do torneio já informou que os torcedores que estavam com ingressos poderão pedir reembolso ou mantê-los para 2021.

Na Fórmula 1, que já havia adiado o GP da China, marcado anteriormente para 19 de abril, divulgou outra decisão importante. O GP do Bahrein, segunda etapa da temporada, que será disputado no dia 22 de março, não terá presença de público. O país já registrou 85 casos confirmados da doença até o momento. No entanto, o Irã, que fica geograficamente próximo ao Bahrein, já tem 5.828 pessoas infectadas. Dessa forma, a F1 não terá torcedores nas arquibancadas pela primeira vez em sua história de mais de 70 anos.

"Como nação anfitriã da F1, o bem-estar dos fãs e dos espectadores da corrida é uma responsabilidade tremenda. Levando em conta a contínua expansão do Covid-19 a nível mundial, convocar um evento esportivo importante, aberto ao público e que permita a milhares de viajantes estrangeiros e fãs locais a interagir em estreita proximidade, não seria o correto neste momento. Mas, para garantir que nem o esporte nem sua base global de fãs sejam impactados indevidamente, o fim de semana de corrida vai seguir adiante como um evento televisionado", afirmou, em nota, a organização do GP do Bahrein.

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

In consultation with our international partners and the Kingdom’s national health Taskforce, Bahrain has made the decision to hold this year’s Bahrain Grand Prix as a participants-only event. As an F1 host nation, balancing the welfare of supporters and race goers is a tremendous responsibility. Given the continued spread of Covid-19 globally, convening a major sporting event, which is open to the public and allows thousands of international travellers and local fans to interact in close proximity would not be the right thing to do at the present time. But to ensure that neither the sport, nor its global supporter base, is unduly impacted, the race weekend itself will still go ahead as a televised event. Bahrain’s own early actions to prevent, identify and isolate cases of individuals with Covid-19 has been extremely successful to date. The approach has involved rapid, proactive measures, identifying those affected by the virus, of which the overwhelming majority of cases relate to those travelling into the country by air. Aggressive social distancing measures have further increased the effectiveness of preventing the virus’ spread, something that would clearly be near impossible to maintain were the race to have proceeded as originally planned. We know how disappointed many will be by this news, especially for those planning to travel to the event, which has become a cornerstone event of the international F1 calendar, but safety has to remain our utmost priority.

Uma publicação compartilhada por Bahrain International Circuit (@bah_int_circuit) em 7 de Mar, 2020 às 11:45 PST

Por último, o futebol também tomou mais algumas atitudes para se precaver contra o coronavírus. Após jogos com portões fechados na Serie A (Campeonato Italiano), será a vez da Champions League adotar a estratégia. Até agora, a Uefa anunciou que dois jogos de volta das oitavas de final da competição não terão presença de público. São eles: Valencia x Atalanta e Paris Saint-Germain x Borussia Dortmund.

Vale lembrar que, desde que surgiu, o coronavírus já alterou a programação normal de uma série de outros campeonatos de diferentes modalidades esportivas. O Mundial Indoor de Atletismo, a etapa chinesa da Fórmula E, a etapa asiática da Fed Cup de tênis, o campeonato chinês de futebol, a Liga dos Campeões da Ásia, o PGA Tour e a MotoGP são alguns dos eventos que foram atingidos até o momento.

A NBA e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio monitoram a situação. Na semana passada, o governo japonês admitiu pela primeira vez a possibilidade de adiar a realização do evento por conta da doença.


Notícia Coronavírus surto doença futebol Champions League tênis ATP Indian Wells Fórmula 1 F1 GP do Bahrein gestão mercado