Precisou sentir no bolso para que o Corinthians ponderasse o acesso à arena do time em jogos de quarta-feira à noite. No jogo contra o Bahia, pela Copa Sadia do Brasil, a queda foi de exatamente R$ 1 milhão. Na manhã seguinte, na quinta-feira (24), o presidente do clube pediu uma reunião até com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Leia Mais:

Arena Corinthians dobra lucro corintiano com um terço dos jogos

Por metrô, Barcelona até já pagou para Prefeitura

O metrô e o trem são os principais meios de transportes para a Arena Corinthians; o clube nem abriu ainda um estacionamento oficial. No entanto, a estação Corinthians-Itaquera funciona até 0h19. Quem sai após o término do jogo não chega a tempo e fica basicamente sem ter como voltar para casa.

Ainda assim, na empolgação do estádio novo, 24 mil pagantes estiveram presentes para assistir a Corinthians x Bahia. Para o horário e para o estágio da competição, foi um bom público. Por outro lado, foi o pior desempenho da torcida corintiana na nova arena.

Até então, a média de público era de 35,2 mil pagantes, considerando os três jogos do Campeonato Brasileiro. A receita passou dos R$ 2,5 milhões em todas as oportunidades, com média de lucro em R$ 1,9 milhão. Contra o Bahia, por outro lado, o ganho bruto ficou em R$ 873 mil.

Entre os torcedores, foi criado até um abaixo-assinado online, após muitos perderem o fim da partida, e alguns ficarem do lado de fora do metrô. Mário Gobbi já foi atendido por dois secretários, entre eles Jurandir Fernandes, dos Transportes Metropolitanos, que deverão participar da conversa com Alckmin. Publicamente, alternar os horários das partidas não foi uma possibilidade citada. 


Notícia Arena Corinthians Copa do Brasil