O Corinthians e a construtora Odebrecht devem assinar nas próximas semanas um contrato que reduz para cerca de R$ 160 milhões a dívida que o clube tem com a empresa referente à construção da Arena Corinthians, erguida em 2014.

O presidente corintiano, Andrés Sanchez, apresentou aos conselheiros do clube, na noite desta segunda-feira (12), os detalhes do acordo alinhado com a diretoria da Odebrecht. Nele, o clube reduzirá de cerca de R$ 800 milhões para R$ 160 milhões o total da dívida com a construtora. O débito é referente a empréstimos tomados pelo Corinthians na época da construção do estádio, que eram cobrados pela Odebrecht.

Foto: Reprodução

A construtora vai receber os CIDs (Certificado de Incentivo ao Desenvolvimento), que foram dados pelo município como incentivo para o Corinthians erguer o estádio no bairro de Itaquera e avaliados em cerca de R$ 300 milhões, como parte do pagamento dessa dívida. O restante do débito será pago de forma parcelada pelo clube para a construtora.

Além de abater a dívida, o acordo também determina que não haverá mais qualquer contestação por parte do clube em relação a obras mal executadas ou aquelas planejadas antes do início das obras e não realizadas pela construtora.

O Corinthians, agora, tenta reorganizar a dívida com o BNDES, de cerca de R$ 400 milhões, para conseguir acelerar o pagamento do estádio e, assim, começar a ter lucro com o espaço. Até agora, tudo o que é arrecadado na Arena Corinthians tem sido reinvestido no pagamento das dívidas.


Notícia Corinthians Arena Corinthians Odebrecht BNDES estádio dívida construtora acordo estratégia pagamento